Notícias Adventistas

Escola Adventista forma Comitê Regional de Tecnologia & Dignidade Humana

Entre os participantes estão pais, professores, advogados, poder municipal e estadual.

O Comitê é resultado de uma pesquisa realizada na escola com o objetivo de mapear o uso da internet pelos alunos.

O Comitê é resultado de uma pesquisa realizada na escola com o objetivo de mapear o uso da internet pelos alunos.

Curitiba, PR… [ASN] O Colégio Adventista do bairro do Boqueirão, sudoeste de Curitiba, PR, na noite da última terça-feira, 27, foi palco do primeiro encontro para a formação do Comitê Regional de Tecnologia & Dignidade Humana. Entre os presentes, que farão parte deste grupo permanente de debates, estavam pais, professores e representantes do poder municipal, estadual e da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraná (OAB-PR).

O Comitê, que é resultado de uma pesquisa realizada na escola com o objetivo de mapear o uso da internet pelos alunos, será amparado pela Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos junto com outros órgãos a fim de criar um plano de mobilização para o uso consciente e responsável das tecnologias.

“Queremos chamar a atenção dos pais, alunos e da própria sociedade para o uso crescente e cada vez mais cedo das crianças na internet e principalmente nas redes sociais. De forma inocente ela acaba colocando informações pessoais na rede, o que chama a atenção de pessoas mais velhas e mal intencionadas. Esses debates tem o foco na prevenção dos nossos pequenos”, diz a diretora do colégio, Lacy Bubna.

Segundo a pesquisa realizada na unidade de ensino, dos 451 alunos entrevistados, 90% acessam a web diariamente e dividem suas atividades entre redes sociais e jogos online. No entanto, apenas 30% dos pais sabem o que exatamente seus filhos fazem no mundo virtual. A amostra também revelou que 405 adolescentes compartilham fotos diariamente pela rede e 202 do total, já receberam fotos pornográficas de outros amigos.

O advogado da Comissão de Direito e Tecnologia da OAB-PR, Carlos Alberto Filho, revela que cada vez mais as crianças entram no mundo virtual e ficam expostas aos perigos da rede que podem virar perigos reais. Com a atuação do Estado e orientação das famílias, a solução pode estar mais próxima do que se imagina.

“Se a idade mínima para acessar a maior rede de relacionamentos aqui no Brasil é com 13 anos, e já encontramos crianças de nove com a conta exclusiva, isso significa que elas já estão cometendo delitos. Fora que os traumas sofridos nessa idade acompanham a pessoa para o resto da vida. Com políticas públicas específicas, debates como esse da Escola Adventista e a ação das famílias, nossa sociedade saberá conviver melhor”, ressalta.

A assistente de Tecnologia Educacional da instituição, Adriana Svidnicki, e também responsável pela pesquisa enumera uma lista de prejuízos que o excesso de tempo em frente ao um computador pode trazer para uma criança. “Desde pequena a pessoa já vai adquirir lesões por esforço repetitivo (LER) decorrentes do uso ergonomicamente incorreto do computador, prejuízos no processo cognitivo atrelados a atenção e a concentração, dependência tecnológica, vulnerável aos ‘cibercrimes’. Precisamos conscientizar pais e filhos para o uso correto deste meio de comunicação”, afirma.

Lei Municipal

Em vigor desde o dia 12 de setembro de 2011, a Lei Ordinária nº13.806 que dispõe sobre o uso obrigatório de filtragem de conteúdo inadequado nos computadores das Escolas Públicas de Curitiba e quaisquer outros locais públicos, de autoria do vereador Dirceu Moreiro (PSL), vem reforçar a política do Comitê Regional de Tecnologia & Dignidade Humana. Ele que tem apresentado projetos de lei nesta área, parabeniza a iniciativa da Escola Adventista.

“Essa escola sai na frente das outras ao estar preocupada também com o mundo virtual das crianças. Desde já me coloco à disposição para intermediar sessões públicas na Câmara de Vereadores da capital e colaborar de outras formas também. Acredito que esse Comitê vai fazer a diferença na secretaria estadual e por consequência na vida dos estudantes”, finaliza.

O próximo programa do Comitê Regional acontece no dia 12 de setembro com uma palestra sobre “Cibercrimes”. Pela manhã, restrita aos alunos do colégio, quem fará a explanação do tema é o perito em criminalística, Luiz Rodrigo. Já a noite, aberta ao público, quem fala é o delegado Demétrius Gonzaga, do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) da Polícia Civil. [Equipe ASN – Mairon Hothon]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox