Notícias Adventistas

Educação Adventista lança avaliação para desempenho acadêmico

 

Provas já foram enviadas para instituições educacionaisBrasília, DF … [ASN] Avaliação técnica e inédita produzirá um diagnóstico completo do desempenho acadêmico da Rede de Educação Adventista no Brasil. No próximo dia 21 de novembro, os 13.147 alunos de 5º ano de mais de 300 instituições educacionais adventistas brasileiras participarão do Programa Adventista de Avaliação da Educação Básica (PAAEB). O objetivo é bem claro: retratar a realidade do desempenho acadêmico da Rede e ampliar as informações que permitirão medidas que possam superar possíveis deficiências. A primeira experiência é com o 5º ano por ser a etapa final do Ensino Fundamental I, mas a ideia é ampliar posteriormente para as demais etapas da Educação Básica, inclusive para outros países sul-americanos.

Segundo Ana Angélica Fernandes, assistente para projetos especiais do Departamento de Educação da sede sul-americana adventista, os estudantes (a maioria, na faixa de dez anos de idade) responderão a uma avaliação de rendimento acadêmico com questões objetivas de Matemática (com foco na resolução de problemas) e Língua Portuguesa (foca na leitura e interpretação). Além disso, os alunos responderão a um questionário complementar utilizado para detectar fatores externos que podem estar influenciando no desempenho acadêmico.  “Damos um passo importante para contribuir com o aperfeiçoamento da qualidade acadêmica de nossa Rede Educacional Adventista e assim atuarmos com mais precisão na busca de soluções”, ressalta o professor Edgard Luz, diretor sul-americano da Rede de Educação Adventista.

A metodologia adotada para a aplicação desta prova, que passará a ser anual, é considerada adequada para a avaliação externa de redes de ensino e  tem como base as competências e habilidades adquiridas ou ainda não alcançadas pelos alunos. Os resultados, assim que obtidos e analisados, serão repassados para conhecimento das famílias dos alunos, regiões administrativas adventistas (chamadas uniões, associações e missões) e escolas e colégios que poderão entender com exatidão quais são suas deficiências e potenciais e incluí-los no planejamento estratégico. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

 

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox