Notícias Adventistas

Educação Adventista cresce no sul e zona da mata de Minas

Nessas regiões, as escolas adventistas somam hoje mais de 1,3 mil alunos

Equipe pedagógica participa de culto de gratidão pelo crescimento das escolas adventistas na AMS

Juiz de Fora, MG … (ASN) No último ano, a rede de educação adventista no sul e zona da mata de Minas Gerais cresceu 22%. Existem três instituições de ensino nessas regiões. Juntas, elas totalizam mais de 1,3 mil alunos. Uma dessas escolas está em Juiz de Fora, na zona da mata do estado, que hoje conta com 595 estudantes. As outras duas estão em Varginha, com 505 alunos, e Andradas, onde estudam 290 crianças, ambas no sul de Minas.

“O crescimento em nossas escolas é evidente. Se olharmos um pouquinho para trás, nossas instituições tinham dezenas de alunos. Hoje, juntando o número de estudantes das três unidades de ensino em nosso território, são mais de mil estudantes”, alegra-se o pastor Gustavo de Sá, presidente da Associação Mineira Sul (AMS), sede administrativa da Igreja Adventista para o sul e zona da mata de Minas. “Crescer mais de 20% não é simples. Foi fruto de muito trabalho e bênçãos do Senhor”, conclui o pastor.

Segundo o educador Fernando Furtado, responsável pelo departamento de Educação na AMS, o segredo para esse destaque é planejamento e estratégias. “O primeiro ponto do nosso planejamento é a oração. Nós apresentamos a Deus os nossos sonhos e as nossas necessidades. O segundo passo são as estratégias, pois devemos trabalhar também com a fidelização do aluno, bem como a captação de novos estudantes”, revela Furtado. “E para atingir esses resultados, é necessário investir na capacitação dos professores, que lidam diretamente com o aprendizado dos alunos. Outra questão importante é que o aluno se sinta acolhido na sala de aula, a fim de que ele se sinta feliz”, considera o educador.

De acordo com Furtado, a meta para a rede de ensino adventista no sul e zona da mata de Minas é continuar crescendo, tanto em qualidade quanto em infraestrutura. “Já estamos vislumbrando abrir uma quarta unidade, e temos nos planejado para isso. Mas antes precisamos fortalecer o crescimento das unidades que já existem”, pondera. “Os resultados alcançados até o momento foram possíveis em parceira com a equipe de administradores e servidores dessas escolas, que têm sonhado junto comigo”, finaliza.

Escola Adventista de Varginha

Rôde Mascarenhas começou a trabalhar como diretora da Escola Adventista de Varginha em agosto de 2011. Naquela época, a escola contava com 112 alunos, oito professores e turmas e quatro funcionários, sendo a diretora, secretária, monitora e zeladora, que também cuidava da cantina. “Hoje temos 17 funcionários, 11 estagiárias e 22 professores. São 59 pessoas trabalhando na Escola e um total de 505 alunos divididos em 30 turmas. Deus tem nos usado aqui para fazer a Sua obra”, comemora a diretora. “Agora temos duas unidades”, acrescenta Rôde. No território da União Sudeste Brasileira (USeB), sede administrativa da Igreja Adventista para os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, a Escola Adventista de Varginha foi a que mais apresentou crescimento.

As expectativas de Rôde para os próximos anos é implantar o ensino médio em 2019. “Temos o plano também de trazer uma unidade da Fadminas para Varginha, oferecendo faculdade adventista aqui na cidade. E mais, nosso objetivo é continuarmos tendo um bom relacionamento com todos, sem perder a nossa essência”, espera Rôde.

A experiência mais marcante vivenciada pela atual diretora da Escola Adventista de Varginha foi a negociação do terreno de 5.480 m² para construir novas salas e, assim, aumentar ainda mais a instituição de ensino. A diretora e os servidores sonham com uma escola forte no cunho espiritual e pedagógico. Segundo eles, “todas essas realizações só foram possíveis porque Deus esteve à frente de cada sonho e motivou toda equipe a fazer o seu melhor”.

Escola Adventista de Andradas

Enyângela Barbosa trabalha na Escola Adventista de Andradas desde 2004. Analisando o crescimento da instituição nos últimos 5 anos, como diretora ela fica feliz em saber que, apesar de estar situada em uma cidade pequena e existirem três outras redes de educação fortes no local, a cada ano a escola mostra seus resultados positivos. Em 2012, a instituição tinha 131 alunos; em 2013, um total de 160; em 2014, o número saltou para 200; em 2015, para 239; e em 2016, para 257. Hoje, a escola conta com 290 alunos.

“As nossas expectativas são sempre positivas. Apesar de estar na direção dessa escola há muito tempo, todo ano encontramos desafios, novidades e objetivos diferentes a alcançar”, comenta Enyângela, que junto à administração da escola pretende adquirir um terreno ao lado da instituição para aumentar o número de salas e alunos, a fim de incluir séries até o 9° ano até 2019.

Apesar dos desafios, a diretora acredita que, como instituição adventista, os momentos mais emocionantes são os batismos de alunos, pais e colaboradores da escola. “As bênçãos de Deus têm acontecido constantemente em nossa escola. Em 2016, 20 pessoas foram batizadas por influência de nossa rede de ensino, e isso com certeza é motivo de grande alegria”, considera Enyângela.

Escola Adventista de Juiz de Fora

Carlos Figueiredo assumiu a direção da Escola Adventista de Juiz de Fora em dezembro de 2016. “Estou muito feliz por poder fazer parte dessa instituição de ensino, especialmente como diretor”, comenta Figueiredo. Apesar de estar há poucos meses na escola, o educador acompanhou o crescimento dessa rede de ensino nos últimos anos. “Pude notar que aqui em Juiz de Fora a escola cresceu de forma considerável. De 2016 para 2017, eu posso falar um pouco melhor. Houve um crescimento de pouco mais de 16% nesse período”, pontua o educador.

Neste ano, a Escola Adventista de Juiz de Fora atingiu um número recorde de 595 alunos. “Esse aumento é resultado dos esforços de toda nossa equipe e da influência dos pais dos estudantes, que divulgam nossa escola ao falar para pais de outras crianças. E frente a tudo isso, a expectativa é de que a instituição continue crescendo, especialmente no que diz respeito à qualidade, atendimento e visibilidade de nossa escola, pois sabemos que isso é possível diante das metas que já foram atingidas”, acrescenta Figueiredo.

Para o educador, uma das experiências mais marcantes que ele presenciou foi ver pais de alunos procurando a escola adventista como apoio na educação de seus filhos. “Neste ano, nós tivemos o caso de um aluno que é oriundo de outra instituição, onde ele teve vários problemas disciplinares. E por influência das ações e atividades realizadas por nossa escola, esse estudante apresenta hoje uma mudança radical na vida dele”, expõe o diretor. “Isto e muito mais vem demonstrando que, como instituição de ensino adventista, a cada dia nosso propósito de ‘salvar vidas’ tem sido alcançado”, conclui.  (Equipe ASN, Mayra Marques)

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox