Notícias Adventistas

Colégio Adventista faz campanha de “não” às drogas e “sim” à aventura

De acordo com o pastor Matheus Maia, idealizador da proposta, a curiosidade pelo desconhecido, ociosidade, vazio e más companhias têm sido a soma para as drogas fazerem muitos adolescentes escravos a cada ano.

Acampamentos, seminários e debates fazem parte do projeto que acontece até outubro

Acampamentos, seminários e debates fazem parte do projeto que acontece até outubro

Curitiba, PR…[ASN] Um projeto está envolvendo 360 alunos do Colégio Adventista Centenário com informações sobre o perigo das drogas, tanto as consideradas lícitas (como cigarro e álcool) como as ilícitas.

O lançamento da campanha, coordenada pela capelania escolar, aconteceu nos dias 6 e 7 de maio com um acampamento envolvendo 200 estudantes. De acordo com a direção da escola, o projeto vai acontecer até outubro, com seminários periódicos, debates e outras ações externas.
As amigas Larissa Pereira Santos e Maria Vitória Valentin, das turmas 83 e 82, respectivamente, participaram do acampamento e trouxeram para casa um aprendizado importante sobre a necessidade de se manter longe do vício.
“Foi muito legal, porque nós fizemos novas amizades e nos divertimos muito, aprendemos mais sobre Deus… Quem precisa de drogas”? perguntam.

“Adorei participar deste projeto, me diverti com meus amigos, fiz novos amizades e conheci mais sobre Deus em meio a natureza”, afirmou Maria Eduarda Stadler, da turma 71.

De acordo com o pastor Matheus Maia, idealizador da proposta, a curiosidade pelo desconhecido, ociosidade, vazio e más companhias têm sido a soma para as drogas fazerem muitos adolescentes escravos a cada ano. “Isto acaba com os sonhos e destrói as famílias”, avisa.

Além de ensinar a dizer não, o projeto pretende mostrar um novo modo de viver, mais saudável, com uma vida cheia de aventura, amizade e espiritualidade, que é imprescindível. “Mais do que aprender a dizer “não”, eles precisam saber que existe uma infinidade de “sim” para a vida”.

A solução pode vir das escolas – Nesta semana, o prefeito de Curitiba, divulgou a abertura de nove centros que funcionarão 24h para atender usuários de droga e dependentes de álcool. O próprio prefeito assumiu durante entrevista que o poder público é fraco no combate ao vício porque não tem meios de atuar na prevenção, como fazem as igrejas e escolas. [Equipe ASN, Francis Matos]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox