Notícias Adventistas

Candidatos que guardam o sábado fazem Enem em horário alternativo

Curitiba, PR…[ASN] Enquanto os quase 65 mil candidatos terminavam o primeiro dia de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em Curitiba, cerca de 150 estudantes adventistas aguardavam o pôr-do-sol de sábado para começar o exame no Colégio Estadual do Paraná, no centro da capital. Eles fizeram parte dos quase 85 mil candidatos que prestaram o exame em horário alternativo em todo o País. A condição especial tem sido aberta há alguns anos pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) em respeito às convicções religiosas de candidatos que guardam o sábado, como é o caso dos adventistas, judeus ortodoxos e batistas do sétimo dia.

Ao meio dia, os estudantes adventistas se encontram em frente ao colégio estadual para um momento de reflexão e oração (veja imagens desse momento na reportagem do Paraná TV segunda edição). Um capelão de uma escola adventista da capital fortaleceu a fé do grupo com mensagens bíblicas de encorajamento. De mãos dadas e dispostos em círculo, os jovens também oraram antes da entrada na sala.

O grupo entrou no local de provas no mesmo horário que os demais, mas esperou numa sala reservada até as 19h para começar o exame. Eles não puderam levar para o local qualquer tipo de equipamento eletrônico ou literatura, nem mesmo Bíblias. O isolamento foi total. Apenas foi permitido entrar na sala portando caneta, lápis, borracha e régua, regra válida para todos os inscritos no Enem. A duração da prova também foi a mesma.

Em Guarapuava, 39 estudantes também aguardaram a passagem do sábado para o início do Enem. A atitude chamou a atenção da afiliada da TV Globo na cidade (confira a reportagem em vídeo), que gravou reportagem sobre o assunto.

O diretor da rede educacional adventista para o Sul do Brasil, Douglas Menslin, ressalta a importância desse direito para os candidatos adventistas, mas lembra que eles não recebem nenhum tipo de tratamento privilegiado ou vantagem. “Como os adventistas são candidatos inscritos em uma categoria especial, eles devem se submeter à regra geral. Por isso eles precisam estar bem preparados psicologicamente, devem estar conscientes de que eles estão ali em um programa de fé que vai demonstrar a sua crença e certos de que terão a benção de Deus naquele momento”, esclarece.

Para a aluna do Colégio Adventista do Boqueirão, Vitória Rossini, o Enem foi a primeira oportunidade de testemunhar de sua fé como membro oficial da Igreja. Ela foi batizada no mesmo dia da prova e logo à tarde já mostrava fidelidade aos seus princípios religiosos. “Eu me batizei na Igreja Adventista e, agora, o que eu puder fazer para estar perto de Deus eu vou fazer”, assegura.

Beatriz Medeiros foi outra candidata que esperou o pôr-do-sol de sábado para começar o exame. Ela conta que no ato da inscrição já marcou no campo de observações a necessidade de horário especial por motivos religiosos. “É muito importante essa oportunidade, que respeita as nossas doutrinas. Não fosse essa condição alternativa, nós não faríamos o exame”, afirma. [Equipe ASN, Márcio Tonetti]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox