Notícias Adventistas

Série 10 dias de oração: A oração respondida antecipadamente

A vida da Sara Galleni é um registro da atenção divina aos Seus filhos, e de Sua resposta à oração sincera

Sara com os pais e o irmão. (Foto: Arquivo pessoal)

Ribeirão Preto, SP… [ASN] Eu era aluna do mestrado e ganhava uma bolsa, suficiente para arcar com minhas despesas mensais, morando longe da família. A duração da bolsa era de 2 anos e era exatamente o tempo em que planejava concluir o mestrado. Mas conforme os meses foram passando, percebi que os planos não iriam dar certo. A bolsa estava próxima de acabar, mas o projeto e as pesquisas não. Eu teria que continuar o mestrado sem bolsa ou teria que arrumar um emprego que fosse compatível com meus horários de estudo.

Naquele momento, não conseguia enxergar nenhuma possibilidade de emprego, nem sabia por onde começar a procurar. Sempre tive uma família que me apoia e que, naquela situação, poderia me ajudar a continuar estudando, mesmo tendo que viver com um pouco de aperto no orçamento. No entanto, pensar em não ter mais uma renda e voltar a depender inteiramente dos meus pais me deixava chateada. Todos os dias orava pedindo a Deus um emprego.

Leia também:

Era julho de 2015 quando vi, por acaso, alguém compartilhando no Facebook a abertura de um processo seletivo para trabalhar no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, justamente o lugar em que desenvolvia minha pesquisa de mestrado. As inscrições já estavam se encerrando e a prova seria realizada em 20 dias. Sem muito pensar, fiz minha inscrição. Havia apenas uma vaga e quase mil candidatos.

Fiz a prova e tinha a sensação de que havia me saído razoavelmente bem, mas não suficiente para passar em primeiro lugar e conseguir a vaga. Persistia nas orações pedindo a Deus um emprego. Agosto de 2015 passou. Era 5 de setembro de 2015 quando recebi minha última bolsa do mestrado. Dali pra frente não haveria mais nada.

A resposta

Neste mesmo dia, durante minha oração pela manhã, conversava com Deus sobre estes meus anseios, e ainda pedia um emprego. Estando ainda em oração, ouvi um som de notificação no meu celular. Terminando de orar, fui checar o celular e vi que tinha recebido um email de convocação para entrevista, referente ao processo seletivo do qual eu havia participado.

Como eu já esperava, não tinha passado em primeiro lugar, mas Deus cuidou de tudo. Eu fui a sétima colocada. Além daquela única vaga que já estava disponibilizada, outras seis vagas foram abertas e, ao todo, sete pessoas foram convocadas. E lá estava eu entre elas. Em poucos dias fiz a entrevista e no mesmo mês, setembro de 2015, comecei a trabalhar, já recebendo meu primeiro salário. Consegui o emprego compatível com meus estudos, com minha fé, em um local onde me sentia bem e já estava familiarizada e, até hoje, não passei um mês sequer sem receber meu salário.

Naquele dia pude testemunhar em minha própria vida que a promessa de Deus, escrita em Isaías, é real: “E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. (Isaías 65:24)”.

Sou muito grata a Deus pelo emprego que tenho e por saber que ele cuida de cada detalhe da nossa vida.


Sara Galleni mora em Ribeirão Preto – SP, é mestre em bioengenharia e trabalha como escriturária no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. [Sara Galleni, colaboradora local]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox