Notícias Adventistas

Os reflexos da Reforma

Dos dias de Lutero até hoje, saiba que efeitos a Reforma Protestante trouxe à sociedade alemã

26 de outubro de 2017

Por Bruno Elmano

Hartlapp é um dos docentes do curso de Teologia da Universidade de Friedensau, na Alemanha (Foto: Hope Channel Deustch)

O teólogo alemão Johannes Hartlapp viajou algumas horas para encontrar a equipe da TV Novo Tempo em frente à Igreja do Castelo, em Wittenberg, exclusivamente para conceder essa entrevista, parte do documentário “A Reforma Que Mudou o Mundo”. Neste local histórico, em uma conversa de cerca de 40 minutos, ele elucidou muitos questionamentos sobre a sociedade alemã e como ela foi impactada pela Reforma Protestante, fazendo isso com a autoridade de um doutor em História da Igreja. Professor na Universidade Adventista de Friedensau, ele é autor de um livro sobre os desafios dos adventistas no período do nazismo e também pesquisou sobre a Reforma Protestante para escrever a semana de oração deste ano sobre o assunto, que resultou em sermões que foram distribuídos em todo o mundo.

Qual foi o grande impacto imediato da Reforma Protestante na Alemanha?

Em primeiro lugar, a Reforma dividiu a Alemanha. Porque a Alemanha no tempo de Lutero era uma confederação de diferentes Estados. O país tinha mais de 360 governantes e autoridades. Quando a Reforma começou a influenciar o país, alguns Estados decidiram seguir Lutero e outros não. Isso deu início à Guerra dos Trinta Anos, no século 16, a mais sangrenta da Alemanha e provavelmente da Europa Central, porque envolveu a Suécia e a França. O primeiro impacto foi que, no final da Reforma, se formaram dois grandes grupos: o lado protestante e o lado católico, por muito tempo. Mas no século 19 Lutero era chamado de a pessoa que uniu a Alemanha, o que aconteceu em 1871. Eles entendiam que Lutero tinha sido a pessoa capaz de unir o país. Ainda hoje o Norte e o Sul têm diferenças, mas hoje a divisão se dá por causa língua. Ela é a mesma, mas o dialeto é um pouco diferente.

A religião também contribuiu para que houvesse essa divisão?

O Norte se tornou território protestante. Protestante não apenas por luteranos, mas da Reformados também. Quando falamos de Reforma na Alemanha, não podemos falar só de Lutero. Alguns anos depois, chegaram a influência de Calvino e Zwinglio. Mas no fim, o Norte da Alemanha se tornou protestante, pelo menos a maior parte. E o Sul é católico. E o entendimento de catolicismo na Alemanha não é um tipo de “confissão”, mas é um tipo de cultura. Se você for pro Sul, vai ver mais essa diferença cultural. Mas no Norte não temos um entendimento protestante de ser um cristão protestante. Eu diria que é um entendimento liberal agora. Então temos que perguntar por que isso aconteceu, entende? É uma pergunta importante.

De que maneira a Reforma impactou o pensamento alemão e a forma de vida das pessoas?

[Depois da Reforma] o entendimento era que todo ser humano individualmente poderia decidir a maneira com que ele ou ela iria ler a Bíblia e acreditar em Jesus Cristo. Então não era mais necessário ter um sacerdote para dizer no que tenho que acreditar, porque eu leio a Bíblia por minha conta e, no final, eu decido.

Quando ele [Lutero] publicou panfletos e livros, vemos uma imagem e apenas algumas frases, porque nem todo mundo era capaz de ler. Mas se você tem uma imagem, você consegue entender. As igrejas e catedrais daquele tempo não tinham só vidros coloridos, mas histórias da Bíblia e de santos nas janelas, porque as pessoas não entendiam muito bem, mas conseguiam ver e reconhecer o que estava ali. Lutero traduziu a Bíblia para o alemão, mas nem todo mundo era capaz de ler. Ela se tornou um tipo de livro de escola para os alemães. Eles começaram a ler, lendo a Bíblia. E esse é um dos motivos pelos quais 15 anos depois, e dali em diante até antes do século 20, todos eram capazes de lembrar versos de Lutero e da Bíblia de Lutero.

Que características da sociedade alemã foram influenciadas pela Reforma?

A Alemanha não é mais um país cristão. Nós temos agora muitos não cristãos, ateus, e um número significativo de pessoas, especialmente na Alemanha Oriental (leste), que não tem entendimento nenhum de cristianismo, mesmo em Wittenberg. Mais de 90% das pessoas aqui em Wittenberg não cristãs. Mas ainda assim, eu diria que Lutero e a Reforma têm alguma relação com o humanismo. E o humanismo começou a ajudar a entender que todo mundo é capaz de pensar com o próprio cérebro.

Eu diria que isso teve um impacto para nossa sociedade, já que todo mundo é capaz de estudar, trabalhar. Esse tipo de humanismo é um ponto que talvez, 200 anos depois, criou um número de pensadores na Alemanha e algumas pessoas que ajudaram a desenvolver a sociedade.

Portanto, a Reforma ainda vive no entendimento do humanismo e também do Iluminismo. Isso é um pouco estranho. O que o Iluminismo tem que ver com a Reforma? Quando Lutero e Melanchton (Philipp Melanchthon, reformador e astrônomo alemão) dizem que todo mundo deveria ler a Bíblia, que todo mundo deveria debater sobre o que está escrito nela, todo mundo deveria estar apto a achar soluções, a questionar a respeito da sociedade, eles ajudaram a achar um lugar de responsabilidade na sociedade e isso significa que você tem que ajudar todo mundo a achar seu próprio próprio lugar.

Mais tarde, as ideias do Iluminismo estão profundamente associadas à ideia geral de que o indivíduo é capaz de pensar sozinho. Nesse sentido, acredito que ainda hoje nós conseguimos ver fatos que nos levam de volta à Reforma.

A Alemanha está entre as 10 nações com as maiores economias do planeta (Foto: Shutterstock)

Qual foi o grande legado da Reforma Protestante?

Sem a tradução da Bíblia de Lutero não teríamos a nossa sociedade agora. Posso dizer que Lutero considerava a Bíblia tão importante que ele sempre tentou traduzir a Bíblia para o próprio idioma. E ele disse que ‘se não somos capazes de pregar a Bíblia no próprio idioma das crianças nas ruas, das pessoas no mercado, ou da esposa na cozinha, nós falhamos com o significado da Bíblia’.

É por isso que temos que traduzir todo o tempo. Talvez alguém pense que Lutero queria era sentar e traduzir a Bíblia e dizer, ‘oh, está feito!’, mas não. Ele traduziu a Bíblia durante toda a vida. No entendimento dele, nós temos que, a todo o tempo, traduzir a Bíblia para a nossa sociedade. Acho que o grande legado para nós, alemães, é a Bíblia de Lutero, porque depois ela se tornou, possivelmente, o livro mais importante nesse país.

BRUNO ELMANO é jornalista. Produziu e roteirizou o documentário “A Reforma que Mudou o Mundo” para a TV Novo Tempo

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox