Notícias Adventistas

Norte de RO e AC realizam ações contra a violência

O sábado, 22, foi marcado por passeatas nas capitais e no interior

Passeatas contra a violência aconteceu em várias cidades no Norte de RO e AC Fotos: Eric Domingues

Passeatas contra a violência aconteceu em várias cidades no Norte de RO e AC Fotos: Eric Domingues

Porto Velho, RO… [ASN] Dados recolhidos em 2014 pela Central de Atendimento à mulher, através do Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, mostraram que 43% das brasileiras sofrem agressões diariamente; para 35%, a violência é semanal. Das 52.957 denúncias de agressão contra a mulher, 51,68% corresponderam a denúncias de violência física, 31,81% de violência psicológica, entre outros tipos.

Segundo a Delegacia da Mulher de Porto Velho, até o final de julho deste ano, 2.962 denúncias de violência contra mulheres foram feitas na capital. Em 2014, durante o ano, cerca de 5.200 ocorrências foram realizadas.

Para mudar essa realidade e ajudar as vítimas, a Igreja Adventista criou, em 2002, o projeto Quebrando o Silêncio, que faz um alerta sobre essa triste realidade e incentiva a denúncia, através do disque 180 para violência doméstica, disque 100 para violência sexual contra crianças e adolescentes e 190 para ação imediata.

No último sábado, 22 de agosto, data oficial para ações do projeto em oito países da América do Sul, convidados e fiéis da Igreja Adventista no Norte de Rondônia e Acre foram às ruas para fazer barulho e incentivar vítimas a quebrarem o silêncio.

O Quebrando o Silêncio teve repercussão na TV Record e Rede TV em Porto Velho. Em Ariquemes, interior de RO, a ação foi noticiada pela TV Globo local.

O Quebrando o Silêncio teve repercussão na TV Record e Rede TV em Porto Velho. Em Ariquemes, interior de RO, a ação foi noticiada pela TV Globo local.

Nas passeatas, espalhadas nas cidades, os participantes levavam cartazes e faixas contra a violência doméstica, a pornografia e a violência sexual contra crianças e adolescentes.

Em Porto Velho, ao final da movimentação, cerca de 1500 pessoas se reuniram na Arena Novo Tempo, para assistir palestras com autoridades do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a mulher, debates sobre o assunto e para passar também o alerta na linguagem das crianças, com a Turma do Nosso Amiguinho. Na programação parte da equipe do Ministério Público de Rondônia esteve presente, apoiando o Quebrando o Silêncio com uma tenda para orientações.

A responsável do Quebrando o Silêncio na sede administrativa da Igreja Adventista para o Norte de Rondônia e Acre (Associação Amazônia Ocidental), Elma Matos, explica como foi a execução da ação neste ano. “Nós decidimos fazer carreatas e passeatas para atingir o público e chamar a atenção da população e, principalmente, das vítimas que sofrem com a violência. Com a movimentação, mostramos que elas não estão sozinhas e que devem falar e acabar com o sofrimento. ”

Segundo a promotora de Justiça de Rondônia, Tânia Garcia, que esteve no evento e participou dos debates, a iniciativa é muito importante a fim de unir esforços para o enfrentamento efetivo da violência doméstica contra a mulher, a criança e o idoso. “Como o Estado não está dentro das famílias, a igreja está próxima da comunidade, que recebe esse grito de socorro. É extremamente importante a igreja se envolver tanto para orientação como para apoio com o objetivo de cessar o ciclo da violência. A Igreja Adventista está de parabéns, pois é uma ação que coopera muito com o trabalho do sistema de Justiça”, salienta. [Equipe ASN, Vanessa Lemes]

Veja mais fotos do evento no Facebook da Associação Amazônia Ocidental.

Assista a reportagem sobre o Quebrando o Silêncio em Ariquemes, RO.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox