Notícias Adventistas

Comunidade adventista faz passeata contra crimes sexuais infantis, em Guarulhos-SP

Voluntários se mobilizaram contra estes crimes que afetam 70% dos adolescentes e crianças brasileiros por meio do projeto da Igreja Adventista, Quebrando o Silêncio.

Guarulhos, SP… [ASN] O projeto da Igreja Adventista, Quebrando o Silêncio, incentivou milhares de fieis em todo o Brasil a participarem de ações solidárias que aconteceram no último sábado, dia 26 de agosto. A iniciativa também foi reproduzida em Guarulhos-SP.

· (Veja todas as fotos do evento)

No município, centenas de voluntários saíram para atender o pedido de socorro de milhares de pessoas em condições de violência doméstica que sofrem em silêncio. A voz de crianças e mulheres foi representada por uma multidão de pessoas de todas as idades que se uniram para realizar uma passeata. O evento iniciou às 15h no Bosque Maia, no centro da cidade. Os participantes caminharam pelas ruas e realizaram o percurso de um quilômetro na região paulista.

Estavam presentes na ocasião o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henrique Costa e o vereador, Rafael Zampronio. A passeata foi uma parceria entre a Igreja Adventista e a Universidade de Guarulhos (UNG).

Propósito

O objetivo do Quebrando o Silêncio é coibir qualquer tipo de violência praticada contra mulheres, crianças e idosos por meio da educação. Segundo a líder do projeto no Estado de São Paulo, professora Irene Lisboa, “nós também queremos incentivar as vítimas a denunciarem as agressões sofridas às autoridades. A violência precisa acabar”, complementa.

Os guarulhenses impactaram os moradores com representações de mulheres com maquiagens que mostravam hematomas no rosto simbolizando agressões físicas. “A nossa sociedade ainda é muito machista. Temos muita informação na internet, mas é preciso mobilizar grupos de pessoas para dar visibilidade às ações sociais que estão sendo realizadas”, afirma o voluntário e metalúrgico, José Araújo de Souza.

Outro voluntário, o psicólogo Guilherme de Souza, compartilha sua experiência ao se envolver pela primeira vez no projeto: “A minha função é ser compreensivo, escutar e abrir um espaço seguro para que a vítima possa se comunicar, sentir-

se acolhida e principalmente confiante”. Para ele, isto é essencial no processo de recuperação e superação.

Projeto

A ação é realizada pela Igreja Adventista desde 2002 em oito países da América do Sul. Este ano, a ênfase está no combate à violência e exploração sexual infantil. Isso se deve aos dados alarmantes apontados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) de que 70% das vítimas de crimes sexuais no Brasil são menores de 18 anos. [Equipe ASN, com colaboração de Daniela Smith]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox