Notícias Adventistas

Cardiologista responde perguntas de internautas sobre hipertensão

Doença acomete cerca de 30 milhões de brasileiros. Destes, aproximadamente 18 milhões não sabem que são hipertensos

Cardiologista convidado também coordena estudo sobre estilo de vida saudável

Brasília, DF… [ASN] Um dos principais fatores de risco das doenças cardiovasculares é a hipertensão arterial. Essa enfermidade afeta milhões de pessoas no mundo, e chega a ser considerada pela OMS como uma crise mundial de saúde pública.

Diante disso, a Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul transmitiu ao vivo no dia 25 de abril, em sua página no Facebook, uma entrevista com o doutor Everton Gomes, cardiologista do Instituto do Coração, em São Paulo – SP. Durante a conversa, o médico falou sobre sintomas, causas, agravantes, tratamento, prevenção, mitos e verdades sobre a hipertensão.

O que é hipertensão?

Ao bombear o sangue, o coração se contrai (sístole) e relaxa (diástole). Esse movimento é responsável pela pressão que o sangue exerce sobre as paredes dos vasos. Quando há anormalidades, como estreitamento das artérias, sangue muito denso ou em quantidade excessiva, esta pressão acaba sendo maior que o ideal, o que pode acarretar desgaste e rompimento dos vasos, coágulos, acidente vascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio, insuficiência renal, entre outras situações.

Para a medicina, uma pressão de 120/80 mmHg (sistólica e diastólica, respectivamente) é considerada ideal, mas mesmo este padrão pode variar de acordo com o biótipo e estilo de vida da pessoa.

Sintomas

Segundo o doutor Everton, é preciso ficar atento a sinais como dores de cabeça insistentes, tontura, insônia, irritabilidade, falta de ar, dor no peito e taquicardia, pois são sintomas da hipertensão. Ele frisou, porém, que, ao perceber qualquer um destes sinais, a pessoa deve procurar um médico para um diagnóstico preciso, e nunca recorrer à automedicação; isso porque eles não necessariamente decorrem de hipertensão.

Outra ressalta foi a de que nem sempre uma pressão alterada trata-se de hipertensão. A pressão arterial varia de acordo com a circunstância, como por exemplo, em situações de estresse ou de intensa atividade física. Uma hipertensão caracteriza-se pela insistência desta alteração.

Causas

Diversos fatores podem desencadear a hipertensão. Existe o fator genético, em que há a predisposição da pessoa a desenvolver a doença, embora este seja responsável pela minoria dos casos. As principais causas estão relacionadas ao estilo de vida. Hábitos como alimentação desequilibrada, com ingestão excessiva de sódio e gordura, falta de atividade física, sono irregular, obesidade, estresse e ansiedade, fumo e consumo de álcool são as causas mais significativas de hipertensão.

Fatores de risco

Acompanhada de problemas como diabetes e colesterol alto, a hipertensão torna-se ainda mais perigosa. Fumo e consumo de bebida alcoólica também podem agravar muito os riscos decorrentes dela.

Tratamento

É importante estar atento às variações de pressão, aferindo-a com frequência. Em casos de hipertensão, é fundamental que o paciente procure acompanhamento médico. Ela pode ser tratada com medicamentos, mas, segundo o doutor Everton, na maioria dos casos, uma mudança no estilo de vida é suficiente para controlar o problema.

Conselhos médicos

Durante a conversa, o doutor Everton também pontuou algumas atitudes que podem ajudar a prevenir e combater a hipertensão, como:

  • Evitar alimentos enlatados, processados e condimentados, porque contêm elevada quantidade de sal (a quantidade de sódio recomendada é de dois gramas por dia)
  • Priorizar uma alimentação natural, com predominância de fruitas, verduras, legumes e cereais.
  • Praticar atividade física regularmente.
  • Controlar o estresse e a ansiedade.
  • Evitar substâncias estimulantes, como a cafeína.
  • Adotar um estilo de vida saudável, com atividade física regular e diminuição do estresse.
  • Buscar um sono de qualidade e por tempo suficiente.
  • Confiar em Deus

Estudo Advento

Um estudo feito por organizações de saúde com cerca de 1.400 pessoas constatou dados importantes sobre a relação entre hábitos adotados pelos adventistas do sétimo dia com a saúde. Como coordenador do Estudo Advento, o doutor Everton enfatizou que os oito remédios naturais são muito eficazes na manutenção da qualidade de vida.

Para mais informações, assista à transmissão completa abaixo. [Equipe ASN, a redação]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox