Notícias Adventistas

Cacique é batizado durante Missão Calebe no interior do Amazonas

Regiões de difícil acesso não foram barreiras para os calebes que chegaram até a vida de uma tribo e testemunharam decisão de cacique

9fd643e8-2633-402e-bc68-6dfe3c5485ce

Cacique e o filho são batizados na comunidade de Kanamari.

Maraã, AM… [ASN] Há dois anos, Iracema Duarte da Silva conheceu a Igreja Adventista do Sétimo Dia na comunidade de Kanamari, durante uma série evangelística. Desde então, ela sempre convidou o esposo Euzebio da Silva, cacique da tribo, para participar dos cultos. O líder indígena frequentava, mas faltava algo para tomar a decisão de entregar sua vida a Jesus. E foi aí que o trabalho do Missão Calebe fez toda a diferença.

O pastor Marivaldo Brandão, que atende a localidade, conta que o projeto Missão Calebe estimulou a decisão do cacique. “Quando ele viu o movimento dos calebes, convenceu-se e decidiu ser batizado”, relata o pastor.  Euzebio e o filho Isaías, de dez anos,  tomaram a decisão de seguir a Cristo.

Leia também:

Veja uma reportagem sobre o trabalho com indígenas em Rondônia:


Clube de desbravadores indígena 

As comunidades de Kanamari e Maguari, distantes cerca de 30 minutos de Maraã, interior do Amazonas, são acessíveis apenas por via fluvial. Mesmo assim, esse não foi o problema para os mais de 35 jovens que participaram do projeto Missão Calebe na região. Durante um período deste mês, eles se mobilizaram em lanchas, canoas e rabetas (transportes usados em rios) para chegar até as duas comunidades.

bd97809e-6631-4a87-a347-3fb4625df4f0

Comunidades distantes receberam os calebes.

Em Kanamari, a Igreja Adventista indígena tem muitos jovens e adolescentes, mas faltava um clube de desbravadores. Os calebes se mobilizaram e fundaram o primeiro clube no local, com mais de 30 participantes.  Já em Maguari, não havia presença adventista. Ali, os calebes também cumpriram a missão e realizaram uma campanha com estudos bíblicos durante um período de tempo.

Mais de 50 pessoas decidiram ser batizadas e passaram a fazer parte da Igreja Adventista nestas comunidades. Para o pastor Marivaldo, o trabalho teve muitos desafios, todos superados com a ajuda de Deus. “Estou muito feliz de ver esse resultado em nossa região”, destacou o pastor. [Equipe ASN, Priscila Baracho]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox