Notícias Adventistas

Brasileiros viajam a Angola para expedição missionária

Grupo de missionários brasileiros realizaram séries evangelísticas e atendimento à população da cidade de Huambo, Angola

No grupo havia pastores, estudantes, médicos e líderes de igreja. Foto: Ana Paula Barbosa

Varginha, MG (ASN) … De julho 4 a 19 de julho, 24 voluntários adventistas da zona da mata e sul de Minas Gerais e do sul do Rio de Janeiro saíram do Brasil rumo a Angola para realizarem serviços sociais e ações evangelísticas. A Missão Angola 2017 contou com pastores, profissionais da saúde, líderes de Desbravadores e Aventureiros, estudantes e universitários. Foram 15 dias em território africano realizando séries evangelísticas, atendimento e visita a comunidades carentes, feira de saúde e outras atividades.

A Missão Angola 2017 foi patrocinada por uma empresa de transporte e escolas politécnicas renomadas no país, a Trans-Maya LDA. O dono da empresa, Inocencio Nanga Maya, é Adventista do Sétimo Dia e afirma que sua maior motivação é a pregação do evangelho. “Ter missionários do Brasil para vir e representar a mensagem de Deus para nós e para o pecador que precisa ser resgatado é o mais importante para nós”, confirma Maya.

Os missionários receberam assistência da Trans-Maya LDA com a reserva de um hotel, alimentação, disponibilidade de um ônibus e uma ambulância, presença de duas secretárias executivas para auxiliar em todo o período do evangelismo e até o fretamento de um voo para diminuir o tempo de chegada dos missionários em Huambo, no sul de Angola, cidade sede dos compromissos do grupo.

Atividades 

As atividades começaram a todo vapor no mesmo dia em que os missionários chegaram. Às 6h, líderes de Desbravadores e Aventureiros brasileiros já estavam na igreja adventista central de Huambo para realizar um treinamento com dois grandes grupos: os líderes de Desbravadores e Aventureiros. A capacitação durou 12 dias e contou brindes, premiações e algumas histórias para contar. Sandra Barbosa, líder de Desbravadores dos distritos de Alfenas, Boa Esperança, Passos, Varginha e Três Corações, do sul de Minas Gerais, explica que o treinamento foi uma troca de experiências. “Foi recompensador”, pontua. “Pude passar para angolanos os conhecimentos e experiências vividas no Brasil, e eles mostraram um pouco da realidade deles para podermos trabalhar em cima disso”, completa.

Na feira de saúde, pastor explica a importância da confiança em Deus para a saúde espiritual

A equipe de saúde também se reuniu e organizou uma feira de saúde que contou com a participação de 50 voluntários, sendo eles os missionários brasileiros e membros da igreja, médicos e enfermeiros da cidade de Huambo. O evento recebeu aproximadamente 400 pessoas. Elas tiveram pequenas palestras sobre os oito remédios naturais (alimentação saudável, água, ar puro, luz solar, exercício físico, repouso, temperança e confiança em Deus) e momentos de aconselhamento com pastores e psicólogos.

Um dos médicos angolanos que participaram da feira, chamado de Bongue, diz sobre o impacto desse evento para a população de Huambo: “Com essa feira muitos podem entender a importância dos oito remédios naturais que podem auxiliar muito na qualidade de vida de qualquer indivíduo”, considera. Depois disso, as pessoas foram atendidas e medicadas pelos profissionais da saúde que fizeram desde exames de rotina até pequenas cirurgias.

Dando uma pausa nas atividades, o grupo de missionários foi até a Missão da Namba (Missão é nome dado ao lugar em que são feitos trabalhos missionários com as pessoas de Huambo). Este local é o único no mundo em que ainda cai Maná. O grupo teve a oportunidade de procurar, encontrar e trazer para o Brasil uma porção do alimento que sustentou o povo de Israel no deserto. O local carrega consigo muitas histórias que comprovam que aquele grãozinho “do tamanho de uma semente de coentro” é de fato Maná.

Pastor Leandro Rodrigues reserva Maná encontrado em Angola. Foto: Arquivo pessoal

Voltando às atividades normais, o grupo também visitou, realizou atendimentos e prestou serviços para duas comunidades da Missão do Bongo. Essa missão é administrada por Vitória e João, dois missionários voluntários que já realizam o trabalho há seis anos. A enfermeira e missionária brasileira Aline Graciano afirma que atender a essa comunidade a fez ter uma visão diferente da sua profissão. “Tive oportunidade de atuar como enfermeira missionária e conhecer uma realidade diferente da que tive oportunidade de trabalhar até hoje”, afirma. As crianças atendidas receberam peras e pipocas compradas e estouradas pelos próprios missionários brasileiros em uma fogueira. Além dos atendimentos médicos oferecidos às crianças, uma parte do grupo fez brincadeiras e ensinou algumas músicas a elas.

Estádio da Caála recebe cerca de 25 mil pessoas durante evangelismo. Foto: Ana Paula Barbosa

O ponto central da missão foi a “Cruzada Evangelística”. Durante 15 noites os pastores realizaram conferências em nove pontos diferentes da cidade de Huambo. Pelo menos mil pessoas compareciam aos pontos de pregação para assistir essas conferências. Cada pastor possuía sua equipe de missionários que ajudavam na recepção, nas histórias bíblicas para as crianças, cantando alguma música ou simplesmente conversando com os irmãos. O encerramento da Cruzada aconteceu no Estádio da Caála com desfile dos Clubes de Jovens, Desbravadores e Aventureiros. Além disso, 326 pessoas foram batizadas, dentre elas, Fillomena, uma das secretárias que esteve acompanhando o grupo durante toda a missão.

Segundo a contagem realizada durante todas as noites de conferências, 2.163 pessoas aceitaram ao apelo de seguir a Jesus e estão se preparando para o batismo em breve. O organizador do grupo aqui no Brasil, pastor Leandro Rodrigues, líder de Evangelismo para a zona da mata e sul de Minas, fala sobre a gratidão de conduzir o grupo e ver os resultados. “O sentimento é de missão cumprida”, ressalta o pastor. Os missionários levaram materiais de Desbravadores, Bíblias e cerca de 2,5 mil dólares foi entregue ao presidente da sede administrativa central da Igreja Adventista em Angola, pastor Francisco Neto, para compra de mais Bíblias.

Os missionários deixaram o país da Angola no dia 19 de julho com o sentimento de dever cumprido e a convicção de terem sido ajudados pela enorme alegria e gratidão pela qual foram recebidos. (Colaboração da estudante de jornalismo Ana Paula Barbosa, voluntária da missão evangelística realizada em Huambo/Angola)

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox