Notícias Adventistas

Homens ainda temem o exame de próstata

O câncer de próstata tem estimativa de 69 mil novos casos por ano, ou seja, 7,8 novos diagnósticos a cada hora.

 

Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame

Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame

Brasília, DF … [ASN] Apesar de o câncer de próstata ser uma das doenças mais frequentes no sexo masculino, só atrás do câncer de pele não-melanoma, muitos ainda temem em fazer os exames preventivos. Estatísticas feitas em 2015 pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostram que 51% dos homens nunca foram ao urologista. E o mais alarmante é que o câncer de próstata tem estimativa de 69 mil novos casos por ano, ou seja, 7,8 novos casos a cada hora. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), desse total 10% são diagnosticados em estágio avançado.

Leia também:

Segundo o coordenador de Uro-Oncologia da SBU, Lucas Nogueira, nos últimos anos houve progressos no tratamento da fase de câncer de próstata mais avançado, que, em geral, pode levar o paciente à morte. “De cinco anos para cá tivemos progressos no tratamento e um aumento gigante no número de tratamentos na área, com novas medicações, inclusive orais”, informa.

A doença não tem prevenção, por isso o diagnóstico precoce é tão importante para o tratamento e a cura. Quando o tumor é classificado de baixo risco, muitas vezes nem é preciso retirá-lo, apenas acompanhar sua evolução. Portanto, é preciso conscientizar a população sobre a importância dos exames anuais a partir dos 50 anos, informa a Sociedade Brasileira de Urologia e o Instituto Lado a Lado pela vida, que realiza anualmente campanhas com foco na conscientização do câncer de próstata no Brasil.

A forma mais eficiente de diagnóstico ainda é o exame de toque retal. Mas, de acordo com especialistas, apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame. E boa parte dos que procuram o médico não o fazem com a regularidade devida. É o caso, por exemplo, do consultor de contabilidade Homero Nemes, de 62 anos.

Homero admite não fazer o exame com frequência por se sentir bem de saúde

Homero admite não fazer o exame com frequência por se sentir bem de saúde

Vegetariano há 25 anos e praticante de atividades físicas regulares, ele admite não fazer os exames de rotina com frequência exatamente por se sentir bem de saúde. Aliás, quando faz as análises e vê que está tudo bem acaba não se preocupando em fazer a avaliação médica anualmente, como é recomendado.

“A gente imagina que nunca vai ter o problema e a própria sociedade passa essa ideia de que nós homens somos mais fortes, que resolvemos tudo, e se vier um problema iremos resolver também ”, afirma. Em relação ao exame de próstata, ele acredita que a maioria evita o procedimento por medo de descobrir algo grave e pela inconveniência do toque retal, onde o médico verifica o tamanho da glândula.

Para mudar essa realidade o consultor aposta na educação das novas gerações. “As famílias precisam ensinar os filhos sobre a importância dos exames preventivos. Assim teremos um grupo de novos homens que mais cedo começam a se preocupar com isso. Nós, que temos uma idade mais avançada, viemos de um grupo que não foi ensinado e nem acostumado com isso”, conclui.

Saúde do Homem

Com o objetivo de chamar a atenção para a saúde masculina, escolheu-se a data de 15 de julho para celebrar o Dia do Homem no Brasil. A data também é comemorada mundialmente em 19 de novembro.

Em 2009, o Governo Federal instituiu a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O documento apresenta estudos comparativos entre homens e mulheres e revela que os homens são mais vulneráveis às doenças, principalmente as graves e crônicas, e morrem mais precocemente que as mulheres.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as mulheres vivem em média 7,2 anos a mais que os homens, com uma expectativa de 78,8 anos – contra 71,6 anos para eles. [Equipe ASN, Silaine Bohry]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox