Notícias Adventistas

Família é surpreendida com o conceito de fidelidade a Deus

A família frequentava uma denominação que não tinha o Antigo Testamento como base ideológica e surpreendeu-se ao estudar a Bíblia de maneira mais profunda

A família frequentava uma denominação que não tinha o Antigo Testamento como base ideológica e surpreendeu-se ao estudar a Bíblia de maneira mais profunda

Costa Rica, MS … [ASN] Empresário, Josué Ladeia Brito estabeleceu-se há 20 anos na cidade de Costa Rica – distante 375 quilômetros da capital, Campo Grande -, onde abriu sua empresa de manutenção em máquinas e equipamentos agrícolas. Conheceu sua atual esposa, casou-se e teve duas filhas: Gabriela e Juliana. “Fui criado em fazenda e aprendi cedo a mexer com maquinário agrícola e quando casei, decidi abrir minha empresa de manutenção nesses equipamentos”, conta.

Josué é cristão protestante desde que nasceu, e tanto ele quanto sua esposa frequentavam uma igreja que não tinha o dízimo como mandamento, e acreditava que apenas a oferta era parte dos princípios bíblicos. “Nossa antiga igreja seguia apenas o Novo Testamento e não tinha o Antigo como base ideológica”, explica.

Há seis anos, entretanto, Josué encontrou na Igreja Adventista verdades que não conhecia. “Um dia descobri a Novo Tempo e me interessei pelos programas. Pouco a pouco me tornei espectador assíduo do canal e acompanhava a programação fazendo os estudos e passei a chamar minha esposa para assistir comigo”, relata.

Josué, a esposa Vanessa (centro) e as filhas Gabriela (acima) e Juliana (direita).

A esposa, Vanessa Brito, conta que nessa época, quando estava com sua filha caçula recém-nascida, nem sempre conseguia acompanhar o marido nos estudos. “Quando ele começou a me chamar para estudar a Bíblia com ele e dividir o que havia aprendido eu fiquei surpresa, pois a gente não tinha o hábito de fazer o estudo das Escrituras. Nós participávamos das programações na igreja, mas em casa não tínhamos o hábito de estudar”, comenta.

Através das mudanças que viu no marido, Vanessa teve a curiosidade aguçada e se interessou em saber mais sobre a mensagem adventista. “Foi quando, no meu local de trabalho, um colega adventista me falou como funcionava a Escola Sabatina e o modelo de estudo sistemático da Bíblia que a igreja dele adotava, e me convidou para conhecê-la em um sábado pela manhã”, lembra.

Vanessa aceitou o convite e levou as duas filhas. Josué não as acompanhou, pois ainda abria a empresa aos sábados. “Lembro que fomos tão bem recebidas que voltamos no sábado seguinte. No terceiro sábado, o Josué fechou a loja e nos acompanhou. Ali foi o começo de tudo”, destaca.

Algum tempo depois, sob sua nova compreensão da Bíblia, Josué e Vanessa decidiram se batizar e tornaram-se adventistas do sétimo dia. “Eu frequentava uma denominação religiosa que não dizimava, só ofertava. Quando vim para a Igreja Adventista, passei a entregar o dízimo e procurei ser fiel nesse ponto que errava antes. Desde que entendi os mandamentos de Deus, meus dízimos são prioridade, e bênçãos que eu almejava se tornaram realidade em minha vida”, relembra Josué.

Segundo a história do empresário, o local onde sua empresa funcionava sempre foi alugado, e o sonho de um espaço próprio era algo ainda distante. Mas há quatro anos, Josué conseguiu comprar o terreno e construiu o prédio onde hoje a empresa funciona, eximindo o empresário do indesejado aluguel. Nesse período de fidelidade a empresa ainda dobrou o número de funcionários e, mesmo a loja não mais abrindo no período sagrado do sábado, os salários e comissões dos empregados se mantiveram estáveis. “Percebi que, quando comecei a dizimar e incluir o sábado no meu descanso semanal, tudo à minha volta começou a se encaixar. Eu pagava comissão de serviço aos meus empregados, e o sábado era um dia a mais de ganho. Quando decidi que não mais trabalharia aos sábados, eles me questionaram, mas meu faturamento não caiu e, consequentemente, o salário deles não baixou. Ao contrário, eles também prosperaram. Enfrentamos dificuldades por conta da crise financeira que assola o país, mas superamos e a empresa continua atuando e crescendo”, relata.

A esposa, Vanessa, conta que o sonho que nutria desde menina pela casa própria também é realidade. “Eu tinha esse sonho de construir minha casa, do meu jeito e Deus é tão maravilhoso que nos dá sempre mais do que merecemos. Foi através da nossa empresa, que começou tão pequena, que conseguimos construir nossa casa do jeito que eu sonhava e isso é motivo de muita gratidão”, enfatiza.

Josué e sua família são membros atuantes da Igreja Adventista Central de Costa Rica. Ele, além de atuar como secretário da igreja, também auxilia no louvor. “Eu sempre procurei ter contato com Deus, mas não O conhecia de uma forma tão profunda como conheço agora, e vejo que Ele sempre me abençoou. Deus sempre tem me guiado, e quando decidi ser fiel à Sua Palavra, tudo fez sentido pra mim”, declara.

A esposa, Vanessa, é diretora do Ministério Infantil, e auxilia o Clube de Aventureiros do qual a filha caçula faz parte, enquanto Gabriela, a mais velha, cursa Engenharia de Produção na Universidade Adventista de São Paulo, Campus Engenheiro Coelho (UNASP-EC).

Além de toda a mudança vivenciada pela família, o exemplo do descanso semanal e a bondade de Josué criam nos funcionários da empresa a perspectiva do verdadeiro cristianismo. “Sempre procuramos incluir os funcionários que não são adventistas em nossas conversas sobre a Bíblia e também os convidamos para as programações da nossa igreja. Pouco a pouco, temos criado abertura com eles, e sei que, no tempo certo, Deus agirá na vida de cada um deles também”, finaliza. [Equipe ASN, Rebeca Silvestrin]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox