Notícias Adventistas

Estudo da Bíblia é projeto de ressocialização em Conjunto Penal

Iniciativa coordenada por adventistas em Itabuna dá direito à redução de pena aos presos que concluem o curso

Autoridades jurídicas e administrativas apoiaram projeto de adventistas para ressocialização dos encarcerados

Itabuna, BA … [ASN] No dia 9 de maio de 2017, em uma reunião realizada dentro da Conjunto Penal de Itabuna, com a presença de autoridades jurídicas e administrativas, foi oficializado que o Projeto “Jesus na Escola do Presídio”, que oferece estudos bíblicos coordenados por adventistas, dará direito à redução de pena aos presos participantes. Na ocasião, os alunos da primeira turma receberam o certificado de conclusão do curso.

O conteúdo é dividido em 18 lições, distribuídas em cinco ou seis encontros realizados no período de um mês, de acordo com a rotina do presídio. No total, são 24 horas de duração entre aulas e exercícios. Ao final, os alunos ativos e regulares recebem um certificado de conclusão e também o direito à redução de pena de um dia para cada 12h de curso.

Desde março deste ano, o projeto faz parte do grupo de iniciativas de ressocialização do Conjunto Penal da cidade, mas o trabalho conhecido como Ministério do Presídio, feito pelos adventistas, começou bem antes, em 2014, por iniciativa de Márcia Santos, após ter seu filho assassinado por envolvimento com o mundo do crime. “Depois de um ano tive o privilégio de conhecer aquele que assassinou meu filho e ele se tornou meu filho também. Aí, dando estudos bíblicos a esse jovem, Deus, em sonho, me revelou a obra do presídio, passo a passo como seria. Comecei a orar e Deus foi trazendo membros para esse ministério”, esclarece Márcia, que também revela que considera cada aluno do curso como um filho seu.

Recomeço

Adventistas realizam trabalho de evangelismo no Conjunto Penal de Itabuna desde 2014

Para o juíz da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas da comarca de Itabuna, Antônio Carlos Maldonado, os benefícios vão além da redução da pena. Na reunião, dirigindo-se aos concluintes da primeira turma, ele falou sobre a expectativa dos resultados da iniciativa de ressocialização. “A gente não quer que vocês fiquem cumprindo pena eternamente. A gente quer que vocês se preparem para voltar à sociedade, e a melhor forma é essa: a palavra de Deus”, concluiu.

Dentre as 1.290 pessoas que estão como internas no presídio de Itabuna, entre homens e mulheres, 400 já demonstraram interesse em participar das próximas turmas de Estudo Bíblico. Para o diretor do Conjunto Penal de Itabuna, Adriano Jácome, a participação do projeto ajudará para que os presos, quando obtiverem a liberdade, estejam reestruturados. “Nós não temos a pena perpétua, então ele vão pra rua a qualquer momento. Na verdade, quando ele saem, eles querem criar família, eles querem criar mais laços, então aqueles que tiveram a atenção da crença aqui, eles saem modificados e essa é a nossa realização,” reforça.

Primeira turma contou com 16 alunos

Vandilson, encarcerado há 23 anos, conta que em sua vida existe um um antes e um depois por conta da iniciativa. “Quando eu conheci a Deus, a minha vida era só lástima, só perdição. A partir do momento que eu conheci esse projeto maravilhoso, conhecendo Deus através da palavra dEle, Deus se revelando pra nós, por intermédio da palavra, eu fui ter um encontro com Deus e saber da perspectiva de Deus na nossa vida”, explica.

O diretor de Evangelismo da Igreja Adventista do Sétimo Dia no sul da Bahia, Jucimar Noya, faz um convite para que mais pessoas façam parte do Ministério do Presídio: “visite os encarcerados, leve a mensagem de esperança, mostre pra eles que o verdadeiro resgate já foi feito na Cruz do Calvário por Cristo Jesus”. [Equipe ASN, Evellin Fagundes]

Veja a reportagem abaixo:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox