Notícias Adventistas

Escavações adventistas estão entre as 10 principais descobertas da Arqueologia Bíblica de 2015

A Southern Adventist University entrou duas vezes na lista de Top 10 da revista Christianity Today.

Escavacoes-adventistas-estao-entre-as-10-principais-descobertas-da-Arqueologia-Biblica-de-2015

Os dois achados no sítio da Southern Adventist University em Khirbet Qeiyafa, Israel (Nick Lindsay / A Quarta Expedição a Laquis)

Collegedale, EUA… [ASN] Duas das 10 principais descobertas arqueológicas de 2015 anunciadas pela revista Christianity Today (Cristianismo Hoje) derivaram de escavações patrocinadas pela Southern Adventist University (universidade adventista no Estado de Tennessee, EUA).

“As descobertas arqueológicas divulgadas em 2015 nos deram novas informações sobre eventos e pessoas bíblicas,” escreveu a revista Christianity Today, uma das principais revistas cristãs nos Estados Unidos, em artigo publicado no dia 30 de dezembro com o título “As Top 10 Descobertas da Arqueologia Bíblica de 2015.”

A quinta descoberta da lista é a inscrição de Eshbaal encontrada em Khirbet Qeiyafa, situada no vale de Elah, no sul de Israel. A inscrição data dos dias de Saul e Davi e menciona um homem por nome de Eshbaal, o mesmo nome de um dos filhos do rei Saul.

A publicação da inscrição chegou às manchetes internacionais em junho de 2015 e levou a uma reunião entre os diretores e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

“Esse nome só aparece em contextos do século 10 a.C. na Bíblia, o que significa que o texto bíblico se enquadra muito bem nos dados arqueológicas em Judá”, afirma Michael G. Hasel, professor de estudos do Oriente-Próximo e de Arqueologia na Southern Adventist University e diretor na escavação. “Também confirma, com as outras inscrições encontradas no sítio, que a escrita hebraica era bem estabelecida em Judá no início do século 10 a.C.”

Validação do relato bíblico

Khirbet Qeiyafa tornou-se o sítio crucial de um debate atual sobre os primórdios da história de Judá. Novos dados encontrados no sítio, incluindo esta inscrição, estabeleceram uma data mais antiga para as monarquias de Saul e Davi, o que alguns estudiosos gostariam de excluir da história. Veja as fotos abaixo.

A quarta descoberta listada pela revista é um óstraco (fragmento de louça, cerâmica e outros materiais no qual se encontram inscrições) canaanita encontrado em Laquis. Esta é a primeira vez que uma inscrição proto-canaanita foi encontrada nos últimos 30 anos de arqueologia em Israel. O contexto da inscrição era um templo canaanita da Idade do Bronze Tardio em Laquis, uma das cidades mais importantes de Canaã durante o período dos juízes.

“A inscrição fragmentada é bem difícil de ser lida, mas fornece informações importantes sobre o desenvolvimento do alfabeto proto-canaanita em sua evolução do hebraico, grego, e depois latim”, comenta Hasel.

Também na lista de Top 10, no número três, está a descoberta da marca do selo de Ezequias, sobre a qual Hasel escreveu para a revista Adventist Review do mês passado.

O Instituto de Arqueologia da Southern Adventist University é um co-patrocinador, com a Universidade Hebraica de Jerusalém, das expedições para Khirbet Qeiyafa e Laquis. A fase de escavação em Khirbet Qeiyafa terminou em 2013 e agora está em fase de conclusão de suas últimas publicações. A Quarta Expedição para Laquis começou, em 2013, suas investigações no segundo sítio bíblico mais importante em Judá e tornou-se a maior escavação no Oriente Médio com 115 a 120 membros da equipe e voluntários no campo a cada ano.

Cooperação

Uma associação internacional de instituições adventistas une-se a Southern a cada ano, incluindo o Instituto Adventista Internacional de Estudos Avançados (Filipinas), a Universidade Adventista da Bolívia (Bolívia) e o Helderberg College (África do Sul). Outras instituições nessa associação incluem a Universidade Coreana Jangsin, a Universidade de Oakland e a Universidade da Comunidade de Virgínia.

As escavações em Laquis também revelaram destruições em massa que datam da campanha babilônica de Nabucodonosor em 586 a.C. (2 Reis 25), na qual dezenas de vasilhas inteiras foram encontradas, assim como da destruição de Senaqueribe, rei da Assíria, que aconteceu antes, em 701 a.C., (2 Reis 18; Isaías 36-37). Nas escavações, no nível que continha a destruição da Assíria, foram encontrados na superfície vários dos chamados vasos de LMLK. O termo LMLK em hebraico significa “para o rei”. Em expedições anteriores, mais de 400 alças de vasos de conserva de LMLK foram descobertas em Laquis, muitas que remontam especificamente ao rei Ezequias.

O projeto continuará de 16 de junho a 24 de julho e os participantes esperam descobrir mais segredos enterrados da antiga cidade de Laquis. Para saber como participar, visite southern.edu/lachish. [Equipe Southern Adventist University e Adventist Review]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox