Notícias Adventistas

Caminho a Cristo completa 125 anos de publicação

Após crise doutrinária, livro surgiu para exaltar a pessoa de Jesus

Livro ganhou edição comemorativa em sua versão em português

Brasília, DF… [ASN] Traduzido para mais de 160 idiomas, o livro Caminho a Cristo, de autoria de Ellen White, foi lançado após um momento turbulento no início da história da Igreja Adventista e ajudou a reforçar a compreensão bíblica de que o ser humano é justificado de seus pecados pela fé em Cristo, e não pela obediência à Lei ou por aquilo que realiza. Embora neste ano complete 125 anos desde que foi publicado, sua mensagem continua a influenciar a vida de pessoas em todo o mundo. Nesta entrevista, o pastor Hélio Carnassale, coordenador da área de Espírito de Profecia na sede sul-americana adventista, apresenta detalhes sobre a obra e sua relevância para a vida cristã na atualidade.

Templos adventistas podem realizar programas especiais para promover a obra e reforçar a relevância de seu conteúdo, sugere Carnassale (Foto: arquivo pessoal)

Em que contexto surge o livro Caminho a Cristo?

Em 1888, a Igreja passou por uma forte crise doutrinária, que resultou na redefinição de sua ênfase, que até então estava voltada à Lei e à sua obediência. Nessa Assembleia mundial da denominação, que aconteceu na cidade de Mineápolis, nos Estados Unidos, as pregações, os cultos e os debates foram na direção de se exaltar a pessoa de Jesus, e de que a salvação era fruto da graça e iniciativa divina, e não resultado da obediência humana. Isso provocou um agito tremendo no cenário doutrinário da Igreja, e Ellen White, nesse contexto, se colocou completamente favorável a essa nova ênfase, que foi trazida por dois jovens escritores e pregadores: Alonzo T. Jones e Ellet Waggoner, que eram da casa editora da Costa Oeste, na Califórnia. E em contraposição estava o grupo do Leste: o presidente mundial da Igreja e a Review and Herald, que ficava na cidade de Battle Creek, Michigan.

Esse conflito, de uma forma muito contundente, demonstrou, segundo Ellen White observou, que os nossos líderes, pastores e irmãos tinham muito pouco do espírito de Jesus: amor, compaixão, paciência, e ela entendeu que deveria, através do seu ministério, contribuir para enfatizar esse novo rumo que a Igreja estava iniciando.

Quando o livro foi preparado, Ellen White já estava na Austrália, e com a ajuda de uma assistente, selecionou os trechos mais adequados que ela já havia escrito que exaltavam a pessoa de Jesus. E, fruto desse esforço, surgiu o Caminho a Cristo. Portanto, ele não é uma obra original. Seu lançamento é resultado de uma compilação que ela mesma conduziu com o auxílio de sua assistente, chamada Marian Davis.

Por estar distante, Ellen ficou muito temerosa de que os editores da Review and Herald pudessem modificar o texto ou não serem fiéis ao original. Por isso, Caminho a Cristo foi publicado ineditamente por uma editora não adventista. Um editor em Chicago aceitou o trabalho e lançou o livro em 1892.

Depois, em 1908, a Review and Herald comprou os direitos autorais da publicação. E ele foi o primeiro livro de uma série que se seguiu, enfatizando e exaltando a pessoa de Jesus. Depois dele veio O Maior Discurso de Cristo, O Desejado de Todas as Nações, finalizando com Parábolas de Jesus. Em um prazo de 10 anos, ela lançou quatro livros exaltando a pessoa de Cristo. Esse foi o contexto. Uma época de transição, uma época de crise doutrinária em que ela entendeu que, pelo seu ministério, deveria contribuir para fortalecer essa nova ênfase cristocêntrica que a Igreja deveria adotar.

Como foi sua aceitação pelos adventistas da época?

O próprio fato de o impressor ter lançado sucessivas edições e de a Review and Herald comprar os direitos autorais pouco tempo depois, demonstram que esse livro teve uma excelente aceitação no mundo evangélico. Embora não tenhamos uma pesquisa ou indicação sobre a reação das pessoas, podemos perceber por esses relances que a obra foi muito bem aceita e contribuiu para cumprir o seu papel.

Este é o livro mais traduzido de Ellen White. A última estatística informa que ele já foi traduzido para cerca de 165 idiomas. Talvez não seja o livro mais conhecido ou mais popular escrito por ela. Temos O Grande Conflito, o próprio Vida de Jesus e O Desejado de Todas as Nações. Esses três livros têm sido amplamente divulgados e vendidos pelo ministério de Publicações da Igreja Adventista, o que acabou sendo um caminho por meio do qual os seus escritos chegaram a muitas pessoas não adventistas e até não cristãs, especialmente na América do Sul.

Quais são os pontos essenciais que Ellen White sublinha nesta obra?

O livro Caminho a Cristo apresenta um roteiro muito interessante em que o amor de Deus é exaltado como uma força de atração ao pecador. Deus não repele o pecador. Ele o atrai. E uma vez atraído, Ele abençoa, transforma, edifica e faz com que a vida desta pessoa transformada se frutifique. É um tratado do amor de Deus e da graça de Cristo. É uma combinação maravilhosa do amor e da graça atraindo as pessoas, dando condições a essa pessoa que aceitou a Jesus de viver uma vida cristã feliz e abençoada.

Por que esse livro é tão relevante para a Igreja hoje?

A mensagem de um Deus de amor, de um salvador amoroso, gracioso, que olha pra mim e não me condena, conhece a minha vida e, a despeito das minhas fraquezas e falhas, me toma nos Seus braços, me perdoa, me transforma e me capacita a viver uma experiência positiva e edificante, é uma mensagem que não envelhece. É uma mensagem atual. Ela não foi importante só para aqueles dias em que a Igreja necessitava fortalecer a nova ênfase. Ela ainda é essencial para a nossa vida hoje. Sermos atraídos para os braços de Deus continua sendo uma grande necessidade. O Caminho a Cristo contém algumas frases muito significativas sobre a vida cristã. Aparece em destaque a importância da comunhão com Deus, não só na primeira hora de cada dia, mas valoriza a experiência de se caminhar com Ele. O livro não é um tratado teórico. Ele é prático. Você o lê rapidamente, pois se trata de uma leitura gostosa, agradável.

Conheça algumas razões para ler Caminho a Cristo

Qual é o plano da Igreja para a comemoração desses 125 anos?

A Divisão Sul-Americana (sede administrativa da instituição para oito países da América do Sul) aceitou a sugestão da Associação Geral (escritório mundial da Igreja Adventista) para neste ano fazer um esforço de lembrar os membros sobre a importância desse livro. Através do White Estate – responsável pela preservação de nossa história e do legado literário de Ellen White, foi elaborada uma lista sugestiva de ações. Nós escolhemos 12 delas, que foram votadas em uma de nossas comissões. Dentre elas estão utilizar o livro Caminho a Cristo para algum trabalho em nossas escolas; Disponibilizá-lo aos pacientes dos hospitais adventistas; Presentear pessoas que já foram membros da Igreja; Incluir o livro na venda que os colportores realizam de porta em porta; Estudá-lo nos encontros realizados em Pequenos Grupos. A Casa Publicadora Brasileira, inclusive, fez uma edição comemorativa para promover a obra.

Que papel desempenha a área de Espírito de Profecia da Igreja Adventista?

Quem cuida dessa área na sede mundial da Igreja não é um departamento, e sim uma instituição chamada White Estate. O Patrimônio White, como seria sua tradução, tem a responsabilidade de zelar e cuidar do patrimônio literário de Ellen White. Por isso, eles preservam todos os originais que puderam ser conservados e há uma série de ações para fortalecer a compreensão, o uso correto e o papel do dom profético na Igreja Adventista. E esse também é o nosso papel nas Divisões e Uniões (sedes da Igreja que administram territórios formados por vários países e Estados, respectivamente). Como coordenadores do Espírito de Profecia das Divisões, nós temos a responsabilidade não de zelar pelo patrimônio, porque disso cuida o White Estate, mas nossa responsabilidade é manter o uso e a compreensão do dom profético na Igreja Adventista de maneira adequada, sem sofrer os agravos que ao longo da história da Igreja esse ministério profético sofreu.

Portanto, nossa missão é garantir que o ministério profético de Ellen White continue em nosso meio, com a compreensão e uso adequados. É importante salientar que ela nunca foi a principal fonte de revelação – ela mesma definiu seus escritos como sendo a luz menor para apontar para a Bíblia e para a luz maior, que é Jesus. O papel de suas mensagens é nos conduzir de volta para Jesus e para a Bíblia. E também, enquanto em vida, Ellen White teve um papel muito importante como mensageira de Deus, sendo um instrumento na solidificação e no desenvolvimento da Igreja Adventista, de seus vários ministérios e de sua missão.

Hoje temos a responsabilidade de preservar entre nós o conhecimento do dom profético, a compreensão do seu papel, do seu propósito, e perceber que ele não é um fim em si mesmo, mas um instrumento que Deus usou para guiar a Sua Igreja naquele período tão difícil pós desapontamento e em dias difíceis como os que vivemos hoje, com tanta falsidade, com tanta tentativa de perversão da compreensão da mensagem bíblica. O Espírito de Profecia surge como uma força de Deus para nos conduzir de volta para a Bíblia e para Jesus. [Equipe ASN, Jefferson Paradello]

O Caminho a Cristo também ganhou um site comemorativo. Lá é possível encontrar o livro, inclusive em uma versão em áudio, e um guia de estudo. Para visitá-lo, clique aqui.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox