Notícias Adventistas

Campori de Desbravadores do Centro-Oeste reúne 15 mil

Abertura é marcada por declaração da juíza que se emociona ao relembrar seus tempos de desbravadora na infância

São 362 clubes, representando os estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal

Rondonópolis, MT…[ASN] O III Campori de Desbravadores, organizado pela Igreja Adventista da região Centro-Oeste do Brasil, começou nesta noite de quarta-feira, 06, com mais de 15 mil desbravadores. São 362 clubes vindos do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal. O evento terá duração até o dia 10.

O programa de abertura teve início às 19h30, com a entrada de todos os líderes de desbravadores e administradores da igreja para esta região. Os cinco minutos ininterruptos de queima de fogos foi um dos momentos ápices da noite, assim como o tradicional momento da fixação das machadinhas no tronco, que declararam aberto o Campori.

Também estiveram presentes na abertura as autoridades da cidade de Rondonópolis que foram homenageadas e agradeceram pela escolha do município para a realização do evento. A juíza Milene Beltramini, marcou o momento pelo seu discurso que emocionou a plateia. Ex-desbravadora, ela chorou ao subir no palco e receber a calorosa saudação de lenços amarelos.

Ex-desbravadora, juíza se emociona na abertura do evento

Ao pegar o microfone, declarou que “Os jovens e adolescentes que fazem parte deste grupo em todo o mundo, possuem algo diferente no coração, porque ‘o amor de Cristo […]’ ”, ela iniciou a declaração e teve a resposta da plateia em alto e bom som: “Me motiva!”, completaram, bradando o lema dos Desbravadores.

Em entrevista, ainda emocionada, Milene contou que pertenceu à Igreja Adventista durante sua infância e juventude e que todo aquele movimento a fazia lembrar o quanto era bom ser uma Desbravadora. “São valores diferentes, é um amor a Deus diferenciado. São coisas que você aprende que não saem de você”, relembrou.

A juíza foi uma das personalidades que possibilitou a realização do grande evento na cidade. “Quando o líder dos Desbravadores conversou comigo e falou sobre a possibilidade de fazer o campori aqui, eu aceitei na hora e passei a apoiar o evento. Quando fui questionada sobre o risco de receber tantos adolescentes aqui, eu garanti que esse grupo era diferente e que eles conseguiriam fazer tudo de forma organizada e trariam muitas coisas boas para a nossa cidade”, enfatizou.

Pastor Joni Oliveira, organizador do evento, recebeu a bandeira da cidade de Rondonópolis das mãos do prefeito

Para os próximos dias, diversas ações sociais estão programadas para serem realizadas em toda a cidade. Desde limpeza nas praças a pinturas em muros e meio fios que precisam de revitalização. A solidariedade é um dos maiores focos do evento que leva o título “Escolhido para a Missão”. “O nosso objetivo é mostrar para o Desbravador que a vida dele tem um propósito maior. Que a existência dele foi planejada por Deus e que ele pode fazer muito por meio de suas habilidades, não importa sua religião ou seu status social”, reflete Joni Oliveira, organizador do evento e líder dos Desbravadores para todo o Centro-Oeste do Brasil.

Estrutura

A montagem da estrutura foi iniciada três meses antes do evento

Para receber os 15 mil adolescentes no parque de Exposições de Rondonópolis, uma pequena cidade foi construída. A estrutura conta com restaurantes, shopping, mercado, hospital, mais de 700 chuveiros e cerca de 600 banheiros espalhados pelo parque.

São 240 restaurantes, que utilizarão 15 toneladas de comida todos os dias, dando um total de 75 toneladas de alimentos consumidos pelos desbravadores durante o acampamento. Na área hospitalar, são 300 profissionais, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e socorristas. Além de uma UTI móvel e uma ambulância, para garantir a segurança dos acampantes.

Mais de 400 ônibus chegaram à cidade

Segundo um dos coordenadores da estrutura do Campori, Afonso Duwe, o acampamento começou a ser montado há três meses. “Foram gastos 45 metros cúbicos de madeira, o equivalente a três caminhões carregados e seis mil metros de cabos elétricos para que a eletricidade chegasse em todos as áreas”, explicou.

Até o momento diversos veículos de imprensa já destacaram o evento que está causando movimentação na cidade. Confira a reportagem feita pela TV Randon, afiliada ao SBT. [Equipe ASN, Jenny Vieira, com informações de Charlise Alves; Fotos: Naasson Azevedo]

 

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox