Notícias Adventistas

Atitudes dos pais afetam espiritualidade dos filhos, diz especialista

A melhor maneira de transmitir princípios e verdades bíblicas é por meio da inspiração, promovida pela coerência na vida dos pais

8 de dezembro de 2017

Por Carolyn Azo

“Filhos não precisam de pais perfeitos, precisam de pais coerentes.” Foto: Freepik

Dados da Igreja Adventista na América do Sul mostram que os jovens são a maioria das pessoas que abandonam a fé. Este é um assunto delicado, e vem sendo trabalhado por líderes e especialistas a fim de remediar essas estatísticas.

Leia também:

A Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) entrevistou o pastor Alacy Barbosa, líder do Ministério da Família para a instituição em oito países do continente, sobre a importância de os pais viverem o que ensinam aos filhos.

Hoje, os filhos dizem que não mais querem seguir a religião dos pais, e abandonam os princípios bíblicos. A família é responsável por isso?

Os pais querem que seus filhos abracem uma religião que, muitas vezes, não veem refletida na vida diária dos pais. Não se pode esquecer que a melhor maneira de transmitir princípios e verdades bíblicas é através da inspiração, promovida pela vida de pais convertidos. Os filhos não precisam de pais perfeitos, precisam de pais coerentes.

Os pais devem obrigar os filhos a seguir a sua religião?

Tudo o que é obrigatório não provém de um coração entregue e de uma decisão voluntária. Os pais devem ensinar, conduzir, discipular seus filhos, especialmente quando crianças, para implantar no coração deles o desejo de seguir a fé da família por vontade própria, e para que a sua crença seja verdadeira.

O que os pais deveriam fazer para fortalecer os princípios bíblicos no lar?

Devem dedicar tempo para estar com os filhos todos os dias; contar para eles os milagres que Deus operou em suas vidas; estabelecer regras disciplinares que orientem a conduta da família (regras que sejam claras, objetivas e conhecidas, bem como suas consequências); desenvolver a habilidade de ouvir os filhos (seus sonhos, problemas, queixas e alegrias); manter um clima de respeito e amor entre o casal; dedicar tempo para os cultos diários, compatíveis com a idade, rápidos, envolventes, participativos, vibrantes e alegres; viver ao longo do dia o que ensinam.

O que você diria aos pais cujos filhos não querem mais contato com a Palavra de Deus?

Enquanto estamos respirando, existe esperança! Se os pais se sentem responsáveis por esse afastamento, devem pedir perdão aos filhos e buscar, de agora em diante, ser, realmente, fieis ao Senhor. Orem sempre por esses filhos, e façam-nos saber desse compromisso de oração intercessora. Não julguem a situação espiritual dos seus filhos, mas criem um clima amistoso, de carinho e respeito para criar elos afetivos. Sejam honestos e objetivos em dizer o que é certo ou errado, e apontem um caminho de retorno a partir de sua própria vida, como pais cristãos, e não de seu discurso.

Quão importante é que os futuros pais mantenham estreita relação pessoal com Deus?  Como eles devem se preparar para transmitir esses ensinos aos filhos?

Somente podemos compartilhar aquilo que temos. Então, necessito buscar no Senhor a sabedoria, o conhecimento, a fé e a disciplina para viver ao lado dAquele que quero compartilhar com os meus queridos. Somente por meio do relacionamento pessoal com Deus e do relacionamento íntimo, pessoal, com meu filho, posso fazer a ponte para transmitir os princípios e valores de Deus em meu discipulado de pai.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox