Notícias Adventistas

Mulheres indígenas são motivadas a evangelizar

Mulheres indígenas são motivadas a evangelizar.Iranduba, AM…[ASN] Localizado a 25 quilômetros de Manaus (AM), o município de Iranduba abriga a tribo Sateré-Mawé, composta por um grupo de 13 famílias indígenas. Dentre as inúmeras etnias indígenas presentes na região amazônica, o que diferencia esta tribo das demais, é o fato de seus integrantes serem a maioria membros da Igreja Adventistas do Sétimo Dia.

A tribo é liderada pela cacique Baku Sateré, que se demora em contar aos que chegam à aldeia, como seu avô foi convertido através do trabalho realizado pelo pastor Léo Halliwell. Ela vive o constante desafio de preservar a identidade cultural de seu povo, assim como o de mantê-lo focado em Deus. “Acordo todas as madrugadas para falar com Tupana (significa Deus na língua Sateré). Leio a Bíblia, estudo a lição da escola sabatina, canto músicas. Então, sinto-me forte para continuar liderando meu povo”, diz a cacique.

A Associação Central Amazonas, escritório administrativo da igreja, preocupada em envolver as mulheres indígenas Sateré-Mawé no cumprimento da missão, realizou no dia 16 de junho, a investidura delas no Projeto MELL.  O Projeto tem como meta principal motivar as mulheres a levarem a luz da Palavra de Deus ao mundo em trevas. O programa foi realizado na igreja adventista de Ariaú, próxima à aldeia, liderada pelo pastor Carlos Yuri e sua esposa Joseane, onde se reúnem semanalmente índios e não índios.

A programação também contou com a participação da professora Wélida Dancini e da líder do Ministério da Mulher da região, a professora Marli Maciel.“Fico feliz em ver minha gente se comprometendoempregar o evangelho. A luz que foi acesa no passado não pode se apagar”, completa a cacique. [Equipe ASN, da redação]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox