Notícias Adventistas

Missão Calebe levou a milhares de decisões na Bahia e Sergipe

Lauro de Freitas, BA…[ASN] Realizar uma mobilização urbana com resultados homogêneos em estados como Bahia e Sergipe, que convivem com realidades econômicas e sociais distintas em seu próprio território, é um desafio. Contra essas idiossincrasias, o encerramento da Missão Calebe nessa parte do Nordeste foi uma vitória da unidade e do amor pelas pessoas. Mais de seis mil jovens formaram cerca de 410 equipes, e partiram para lugares que iam desde grandes centros urbanos até pequenos povoados assolados por uma das mais fortes estiagens já registradas na região. O resultado disso foi o amadurecimento espiritual da juventude e a decisão pelo batismo de mais de duas mil pessoas, que abraçaram um novo estilo de vida cristã por conta da mensagem de esperança dos jovens calebes.

O interesse das pessoas levou a situações inusitadas. Com população de 30 mil habitantes, a cidade de Poço Redondo, no sertão de Sergipe, reservou um interesse pela mensagem que levou a juventude a perceber que o local de reuniões seria insuficiente. Os jovens evangelistas decidiram estender a programação ao longo do dia. A primeira reunião contou com 230 convidados. A segunda, formada apenas por crianças, tinha 110 participantes. Um outro auditório foi improvisado há 10 quilômetros do salão principal, onde cerca de 70 pessoas assistiram a programação. Como resultado, 31 pessoas foram batizadas, apenas na primeira noite de batismos.  Bahia – Na região sul da Bahia, mais de mil pessoas participaram da Missão Calebe. Elas se concentraram em 74 equipes e saíram às ruas para o trabalho. Para cada três calebes, uma pessoa foi batizada. Foram mais de 300 batismos nesta região do Estado. Além do evangelismo, os jovens realizaram diversas ações sociais. Houve escolinha de futebol, aferição de pressão arterial, teste de glicemia e corte de cabelo. A Escola Cristã de Férias apresentou a história de Jesus para crianças da comunidade. Muitas delas trouxeram os pais à noite, para as palestras. “Foi muito bom experimentar ser útil na salvação de pessoas e viver um momento especial com Deus”, comentou o evangelista José Roberto.
Nos municípios da região sudoeste baiana, ocorreram 46 campanhas evangelísticas, que mobilizaram cerca de 630 calebes. O resultado dessa ação foi o batismo de mais de 200 pessoas. “São bênçãos que só podem ser explicadas pela ação direta de Deus”, disse Talita Correa, líder de equipe em Vitória da Conquista.
Na região central da Bahia, quase 1.800 jovens participaram da missão, formando cerca de 150 equipes. Eles realizaram o trabalho em cidades de grande concentração urbana, como Feira de Santana, Juazeiro, Capim Grosso e Cruz das Almas.  Em Feira de Santana, visitada por mais de 500 calebes, aconteceram campanhas de apoio a dependentes químicos interessados em abandonar o vício. O trabalho chamou a atenção de Carmen Lúcia. Ela conseguiu superar a dependência de bebidas alcoólicas e ainda teve a casa reformada pelos jovens. “Jesus mudou a minha vida”, disse.Desafio urbano – A região metropolitana de Salvador contou com 87 equipes de apoio, com participação de mais de 1,2 mil jovens. As ações de impacto urbano chamaram a atenção. Os jovens realizaram até um flash mob, entregando material impresso simultaneamente, em um determinado horário, a todas as pessoas de um grande centro comercial da capital baiana. Na praia do Farol da Barra, um cartão postal da Bahia, os calebes realizaram uma ação de impacto ambiental. Eles recolhiam o lixo dos banhistas e os presenteavam com o livro A Grande Esperança. Houve ainda o “abraço grátis, uma ação espontânea que sensibilizou muitas pessoas no Pelourinho, um reduto histórico e turístico da capital baiana.O entusiasmo da juventude serviu de inspiração para o envolvimento de outras pessoas na ação missionária. No auge dos 82 anos de idade, Edeuzuíta Barbosa, apelidada carinhosamente de Dizu, decidiu participar da Missão Calebe. Segundo ela, a pregação do evangelho passou a ser mais intensa em sua vida após ter sido curada de uma grave enfermidade. “Quando me vi naquelas condições conversei com Deus e disse a Ele que se fosse curada me disponibilizaria muito mais a falar de Sua Palavra para outras pessoas”, contou.Sensibilizada pelo espírito de gratidão, ela colocou a camiseta e boné e saiu para evangelizar. “É moderno demais para mim”, disse, sorridente. Mas a vontade de ensinar as verdades bíblicas a comunidade em que mora falou mais alto. Como resultado de seus esforços, quase 10 pessoas conheceram mais profundamente sobre Jesus, e uma delas decidiu ser batizada. Dizu provou que para a Missão Calebe, focada essencialmente no evangelismo jovem, a juventude definitivamente passou a ser um estado de espírito.Pela primeira vez em sete anos de campanha, administradores, líderes de departamentos e pastores visitaram as equipes de calebes e ficaram impressionados com a obstinação evangelística da juventude. “A Igreja está formando nova geração de jovens, comprometida com a visão e os valores, e interessada em associar a ação missionária com o trabalho social em favor da comunidade e das pessoas que mais precisam”, disse o pastor Herbert Cléber, líder do Ministério Jovem da União Leste Brasileira, sede da Igreja Adventista para Bahia e Sergipe. [Equipe ASN, Alana Souza, Heron Santana, Kleber Faye, Murilo Lélis, Thaiane Firmino, Loabim Vieira]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox