Notícias Adventistas

Líderes de jovens da América do Sul planejam atividades para 2013

93 líderes de jovens da América do Sul.Olímpia, SP…[ASN] Cerca de 900 mil dos 2 milhões de membros da Igreja Adventista na América do Sul tem entre 17 e 30 anos. Foi pensando nesse grupo que 93 líderes de jovens da América do Sul, o líder mundial de Jovens Gilbert Cangy e o diretor assistente de desbravadores mundial Jonatan Tejel participaram do segundo Concílio do departamento para planejar estratégias e lançar materiais que contribuam para o trabalho com essa juventude. O encontro foi realizado de 19 a 23 de agosto em Olímpia, no interior de São Paulo.

Segundo o vice-presidente da Igreja Adventista para a América do Sul, Almir Marroni, o objetivo é unir o departamento jovem ao propósito da Igreja Adventista para 2013 que é o evangelismo em grandes cidades. “É fundamental a participação desses jovens nos programas organizados da Igreja e é isso que se precisa, alguém que não pise no freio, mas no acelerador”, enfatiza.

Para isso, durante o evento, foram lançados vários materiais como o Manual de Jovens e o livro Acerte o Alvo para a formação, capacitação e trazer novas ideias para os líderes de jovens.  Também foi lançado o Manual de Especialidades de desbravadores com 473 especialidades e 115 novas especialidades e os novos cartões de classes progressivas. O cartão de líder agora pode ser cumprido em duas áreas: a linha teórica em que se produz uma espécie de TCC para cumprir o requisito ou na linha prática.

“Agora para ser líder de desbravadores ou aventureiros é preciso tem 18 anos completos, para ter maioridade penal e poder ser responsável por menores de idade”, noticia Areli Barbosa, líder de jovens para a América do Sul. No evento, os líderes também visitaram Barretos, cidades vizinha para ver o local em que será realizado o Campori de Desbravadores da América do Sul em janeiro de 2014.

Durante o concílio, o pastor Evaldino Ramos líder de jovens na sede da Igreja Adventista em Tocantins, teve uma surpresa. Como lançamento do batismo da primavera, evento realizado no final do mês de setembro, o filho do pastor Ramos veio com o uniforme dos desbravadores para ser batizado pelo pai. A esposa e filha de Ramos também acompanharam o batismo com o uniforme do Clube de Aventureiros.

 

Trabalhos Sociais – Pastor Marroni ainda lembra que atualmente existem muitas facilidades para os jovens se envolverem no trabalho na Igreja como o Serviço Voluntário Adventista, o Missão Calebe e os Desbravadores. “Sabemos que hoje o jovem quer carregar uma bandeira. Se ele não tiver uma bandeira boa para carregar ele procura alguma ruim”, explica Areli Barbosa.

Para ele, o crescimento da adesão dos jovens em trabalhos sociais explica isso. “Estamos com mais de 66 mil jovens dedicando as férias no projeto “Missão Calebe”. Isso mostra que os jovens estão dispostos a trabalhar e nós,como líderes, só temos que dar a oportunidade para eles”, analisa.

Segundo Areli, em Brotas, no interior de São Paulo, duas jovens na Missão Calebe voltaram para a casa de uma senhora para se despedir ao final do trabalho. A velhinha já esperava a menina com três presentes, porque disse que tinham três meninas que visitaram a casa dela, mesmo que a Missão Calebe seja apenas um trabalho em duplas. São milagres. A senhora tinha certeza que tinham três meninas na casa dela. Com certeza a vida dessas jovens depois dessa experiência ficou marcada”, relata.

No Uruguai, a experiência não foi diferente. Segundo o líder Jovem da sede da Igreja Adventista no Uruguai, Pablo Flor, o trabalho da “Missão Calebe” é algo recente no país, mas já tem mostrado resultados. Na pequena cidade Colônia Valdense, no Uruguai, uma diretora de escola ficou impressionada ao ver os jovens pintando as paredes. “Ela disse que não conseguia acreditar que jovensdedicavam as férias sem interesse algum. Nessa cidade, os jovens adventistas viraram uma referência, a cidade realmente foi impactada por um trabalho exclusivamente de jovens”, recorda.

Segundo Areli Barbosa, o líderes já planejam atividades para a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. “Estamos pensando em trabalhar com o assunto dos oito remédios da natureza e produzir uma revista sobre o assunto para ser entregue. Queremos fazer a campanha de doação de sangue e também um trabalho tipo a Missão Calebe em que trabalharíamos o dia inteiro e a noite faríamos uma série de conferências. Ainda estamos planejando”, já adianta. [Equipe ASN, Suellen Timm Barros]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox