Notícias Adventistas

Líder de Saúde comenta pesquisa sobre longevidade dos vegetarianos

O estudo, que durou quase seis anos, foi feito com mais de 73 mil adeptos da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Pastor Marcos Bomfim, líder de Saúde da Igreja Adventista para a América do Sul.

Pastor Marcos Bomfim, líder de Saúde da Igreja Adventista para a América do Sul.

Brasília, DF… [ASN] O jornal Diário de Notícias divulgou os resultados de uma pesquisa feita pela Associação Médica Americana, que comprovou que os vegetarianos vivem mais tempo do que as pessoas que consomem principalmente carne.

O estudo, que durou quase seis anos, foi feito com mais de 73 mil adeptos da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que advoga a prática de uma dieta onde a carne praticamente não tem lugar.

De acordo com a investigação da Associação Médica Americana, os vegetarianos tiveram menos 12% de mortos ao longo dos quase seis anos abrangidos pelo estudo. Os vegetarianos sofrem ainda de menos problemas de coração do que os consumidores habituais de carne, cerca de 19% menos. Problemas de rins e a diabetes também efetuam em menor grau os praticantes de uma dieta vegetariana. (Leia a notícia, na íntegra, no http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=3262480&seccao=Sa%FAde&page=-1).

A ASN entrevistou o pastor Marcos Bomfim, líder de saúde da Igreja Adventista para a América do Sul, para ouvir suas considerações sobre os resultados da pesquisa. Acompanhe.

ASN – Qual a sua avaliação dos resultados da pesquisa divulgados na mídia mundial? Pr. Bomfim – Entre os dados interessantes da pesquisa, além dos itens relacionados à longevidade, estão, por exemplo, que os vegetarianos têm um nível maior de escolaridade, maior probabilidade de casar e permanecer casados e ainda que são mais magros que os não vegetarianos (só para citar alguns itens). É bom relembrar que a Igreja passou a divulgar estas orientações sobre alimentação muito tempo antes de qualquer comprovação científica que as apoiasse. Isso reforça nossa confiança no dom profético de Ellen G. White. Outra coisa que pouca gente sabe, é que não falamos de saúde apenas pela própria saúde ou longevidade. Não! Estes são apenas subprodutos. O que buscamos mesmo é um corpo mais preparado e uma mente mais sensível para ouvir a voz de Deus, ser cheia do Espírito Santo e guiada por Ele no serviço ao semelhante.

ASN – Como o departamento de Saúde da Igreja Adventista para a América do Sul tem trabalhado para promover uma alimentação vegetariana livre de tantos produtos industrializados? Pr. Bomfim – Uma de nossas ênfases no Ministério da Saúde Adventista é a educação contínua da população para os hábitos saudáveis, o que é feito principalmente através das Feiras de Saúde e da formação de Escolas de Culinária Vegetariana. Nossa proposta é que ambas ocorram pelo menos uma vez por ano, em cada região pastoral. Uma Escola de Culinária Vegetariana poderá ter, por exemplo, doze reuniões por ano, uma por mês. Estas escolas são muito simples, e requerem muito pouco investimento financeiro, mas dão um resultado surpreendente, em termos de mudança de hábitos. Muita gente faria melhores escolhas alimentares se soubesse como preparar os alimentos. A Escola de Culinária Vegetariana, além de prover a informação e a prática, também fornece naturalmente um substrato social, um grupo de apoio para a mudança de hábitos. Uma das coisas lindas que acontecem nas Escolas de Culinária Vegetariana é que através delas podemos mostrar que Deus nos ama, quer o nosso bem, nossa saúde, e está disponível para conceder força para a mudança.

ASN – Quais seus conselhos para quem deseja se tornar vegetariano? Pr. Bomfim – Talvez o principal seja o de sempre pensar em primeiro “acrescentar” alguma coisa boa à dieta, e não fixar a atenção no “abandonar” ou “tirar” algo da alimentação. Quando você pensa em acrescentar bons hábitos, naturalmente, os maus vão perdendo espaço. Acrescente, por exemplo, a água (em lugar de apenas pensar em abandonar o refrigerante), as saladas verdes, as frutas, o pão integral e o arroz integral. Enfim, para quem está de bem com a vida, a ênfase maior é sempre no positivo, naquilo que é saudável, que faz bem, e não uma fixação doentia, crítica e mal-humorada naquilo que faz mal. Pesquisas têm indicado que se você optar por um regime completamente vegetariano (sem ovos ou leite), também poderá estar muito bem nutrido, mas deverá apenas estar atento à questão de como obter um suplemento de vitamina B12. Por fim, se você pensa seriamente em buscar uma saúde melhor, assim como uma melhor comunhão com Deus, sugiro começar com a leitura de dois dos livros inspirados por Deus e que deram origem a tudo o que cremos sobre saúde: “Ciência do Bom Viver” e “Conselhos Sobre o Regime Alimentar”. [Equipe ASN – Felipe Lemos e Márcia Ebinger]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox