Notícias Adventistas

Líder da Irla divulga 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa

Dr. John Graz visitou autoridades do estado de São Paulo, inclusive o governador, divulgando congresso que será realizado no dia 25 de maio de 2013

Por Lucas Rocha

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, o Dr. John Graz visitou autoridades do estado de São Paulo para divulgar o 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa, que será realizado no dia 25 de maio de 2013. O Dr. Graz é líder da Associação Internacional de Liberdade Religiosa (IRLA, na sigla em inglês), entidade reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU). O diretor de Liberdade Religiosa para a América do Sul, pr. Edson Rosa, Dr. Alcides Coimbra, representante da Liberdade Religiosa da Igreja no Estado de São Paulo, o líder da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (Ablirc), Samuel Luz, e a advogada Damaris Kuo, líder da comissão sobre liberdade religiosa na OAB-SP, que apoia e auxilia de forma integral neste festival, acompanharam o Dr. Graz.

A comitiva liderada por Graz divulgou o festival para autoridades como o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, a vice-prefeita eleita da cidade de São Paulo, Nádia Campeão, o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz, e o presidente da Câmara dos Vereadores de São Paulo, José Police Neto. As autoridades visitadas receberam informações sobre as ações da Igreja Adventista do Sétimo Dia – IASD – na defesa da liberdade religiosa. Em todas as visitas foi declarado apoio ao 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa. O evento será realizado no vale do Anhangabaú, em São Paulo, no dia 25 de maio.

As atividades da comitiva começaram na segunda, dia 3, com uma visita à Câmara Municipal de São Paulo. O grupo foi recebido pelo vereador Paulo Frange em seu gabinete, que falou sobre a relevância da liberdade religiosa e da importância das atividades da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/SP e da Ablirc, entidade afiliada à Irla. O presidente da Câmara dos Vereadores de São Paulo, José Police Neto, também esteve presente e se disse honrado em receber o Dr. John Graz, líder mundial da Irla. Neto destacou a importância da defesa da liberdade religiosa, principalmente em uma cidade como a capital paulista, onde há uma diversidade de denominações religiosas.

No dia seguinte, Graz fez um pronunciamento sobre a sobrevivência da liberdade religiosa neste século, no centro de treinamento de Cotia-SP da IASD. Depois, foi a vez da sede da IASD na região leste de São Paulo receber Graz, que também é diretor mundial do Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da IASD. Na ocasião, Graz usou o exemplo dos pastores adventistas presos em Togo (para saber mais, acesse www.pray4togo.com) para destacar a importância do engajamento político em prol da liberdade religiosa.

Quarta-feira de agenda cheia

Na quarta, dia 5, a comitiva teve uma agenda mais apertada, com três compromissos. No período da manhã, o grupo divulgou o 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa para a vice-prefeita eleita da cidade de São Paulo, Nádia Campeão. A representante da prefeitura se mostrou comprometida com a realização do evento. “Nós recebemos esse evento com grande entusiasmo. A nossa São Paulo é o lugar mais adequado para acolher pessoas que trazem essa mensagem de tolerância e liberdade religiosa como valor importante para a sociedade moderna, para o cidadão”, opina. Segundo Nádia, São Paulo se sente orgulhosa de sediar qualquer evento que trate deste assunto, já que a cidade tem como característica a convivência harmônica de diferentes culturas e religiões.

No período da tarde, a comitiva se dirigiu ao gabinete do deputado Campos Machado, autor da lei 12142/2005 que protege as minorias em relação aos dias de guarda, garantindo, por exemplo, a prestação alternativa de provas de concursos e vestibulares. O parlamentar intermediou a audiência com o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz, e com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O deputado se disse orgulhoso em poder ajudar a IASD e confirmou o apoio do partido para que o festival seja um marco na história da liberdade religiosa no país.

Depois, o grupo divulgou o festival em uma audiência com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado Barros Munhoz. O parlamentar elogiou a iniciativa da Igreja Adventista em organizar o festival, e abriu as portas da Assembleia para a defesa da liberdade religiosa. “Eu imagino o sofrimento que é viver em um país que não tenha liberdade religiosa. Por isso, quero enaltecer as ações que a igreja adventista faz em favor da liberdade religiosa e dizer que estaremos sempre defendendo a liberdade religiosa”, afirma.

Após a audiência com Munhoz, a comitiva retornou ao gabinete de Machado para acertar os detalhes do encontro com o governador. Feito os ajustes necessários, o grupo, junto com o deputado Campos Machado, foi ao Palácio dos Bandeirantes, sede do poder executivo no Estado de São Paulo.
Recebidos pelo governador em seu gabinete, a comitiva falou sobre o festival e outras ações da IASD em favor da liberdade religiosa. Alckmin elogiou e destacou o trabalho da igreja no Estado de São Paulo nos aspectos espiritual, educacional e social, além de ter garantido presença no evento. “Primeiro quero dizer da honra de São Paulo em receber um festival que defende um valor fundamental da pessoa humana que é a liberdade religiosa. Então, é uma alegria para nós. Estaremos no dia 25 de maio no vale do Anhangabaú participando deste grande festival e louvando a Deus pela liberdade religiosa”, prometeu.

 

http://www.youtube.com/watch?v=DuGMIPWjwJY&feature=share&list=UUTUQXsYXjcEVOBpyo0JX-vQ

Irla

A Associação Internacional de Liberdade Religiosa foi fundada em 1983 pela Iasd e é a primeira entidade com dedicação exclusiva à liberdade de consciência mundial. Apesar de ter sido criada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Irla tem membros de várias denominações, já que seu objetivo é divulgar e defender a liberdade religiosa no mundo. Ou seja, a Irla defende que todos os cidadãos são livres para escolher que religião seguir, ou até mesmo para não serem religiosos.

O pr. Edson Rosa entende que a liberdade religiosa vai além do direito de escolher uma religião. Trata-se de respeitar, inclusive, o direito de não crer em Deus. “A liberdade religiosa é uma dádiva de Deus. Jesus quando esteve nesta terra respeitou a decisão das pessoas em segui-lo ou não”, lembra.

Apesar de ser uma entidade interconfessional, a Irla não promove o ecumenismo, ou seja, ela não busca uma integração de diferentes doutrinas. O representante de Liberdade Religiosa para o Estado de São Paulo, Dr. Alcides Coimbra, ressaltou a atuação da IASD em São Paulo nesse sentido. “Estamos felizes por sermos reconhecidos pela Irla como a região do Brasil que se mobiliza pela liberdade religiosa de acordo com os termos das declarações da IASD”, afirma . Segundo o manual da IASD, a liberdade religiosa abrange o respeito mútuo entre religiosos e não religiosos, cristãos e não cristão, adventistas e não adventistas. “Precisamos trabalhar mais a amizade, para ganhar a confiança. Não precisamos ter pressa em doutrinar”, orienta Coimbra.

Em 2003 a Irla foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Desde então, a entidade participa das reuniões sobre Direitos Humanos da ONU. Com sede no Distrito de Columbia, está presente em 80 países por meio de associações nacionais, mas sua atuação se estende a 200 países através de suas 13 sedes regionais. No Brasil, é representada pela Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (Ablirc).

Atualmente, a Irla é secretariada pelo Dr. John Graz. Nascido na França, iniciou sua carreira como pastor de jovens na cidade de Montpellier, foi diretor de Comunicação na França por mais de 16 anos e está no cargo de secretário-geral da Irla desde 1995. Ele é ainda diretor mundial do Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da IASD. Durante sua visita ao país, Graz parabenizou os políticos brasileiros por apoiarem a liberdade religiosa. “Existem pelo menos 11 países que são totalmente contrários aos direitos de liberdade religiosa. No Brasil, o governo respeita esses direitos, e o país tem um importante papel no cenário mundial, no que diz respeito à liberdade religiosa”, garante.

Graz vê o Brasil como um país importante para a liberdade religiosa não só pelo fato de se respeitarem os direitos de liberdade de consciência, culto e religião, como também pela forte atuação da Irla no Brasil por meio da Ablirc e pelos grandes projetos que são realizados no país, como o 2º Festival Mundial de Liberdade Religiosa.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox