Notícias Adventistas

Jovem deixa as drogas por influência de um livro

2 de junho de 2014
Impacto UNoB 2014

Em Manaquiri- Am, líderes da Igreja Adventista para a região noroeste do Brasil distribuem livro A Única Esperança

 

No último sábado, 31, a América do Sul foi impactada pelos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia que distribuíram, gratuitamente, em seus respectivos países, o livro A única Esperança, de Alejandro Bullón. A administração da Igreja para a região noroeste do Brasil, juntamente com os demais líderes e familiares escolheram a cidade de Manaquiri-Am, para desenvolver o projeto.

Acompanhados dos membros da igreja local, a equipe saiu de casa em casa levando A única Esperança aos moradores da pequena cidade. Mais de 3.200 pessoas foram beneficiadas, entre elas estava Agnaldo, que se diz curioso para saber sobre o conteúdo da literatura. “Recebendo o terceiro livro, eu me sinto alegre e curioso para saber o que vem dentro dele. Por mim, eu começava a ler agora mesmo”.

Impactado por um livro

Filho de pai alcoólatra, Agnaldo Marques da Silva, 34, cresceu assistindo o pai bater na esposa. Aos 10 anos, o pequeno saiu de casa e aos 11, já conhecia a dor e o desespero de ser um dependente químico. Gari e serralheiro, Agnaldo é casado com Neurimar Silva. O casal está junto há 9 anos e tem uma menina de cinco. Mas a história de Agnaldo poderia ter tido um final diferente, se um livro, não houvesse mudado o rumo da sua vida.

“Aos 20 anos, o meu corpo não suportava mais tanto álcool e drogas. Nessa época eu comprei um livro chamado Terceiro Milênio, do escritor Alejandro Bullón. Lá, ele contava a história de um drogado que ele ajudou. Eu me identifiquei com o personagem, porque eu também era um drogado. O primeiro passo que eu dei para Jesus foi através desse livro. Eu aprendi também para onde vão os mortos.” comenta Agnaldo.

Algum tempo depois, Marques conheceu uma senhora da Igreja Adventista do Sétimo Dia que o convidou para ir à igreja, o rapaz por sua vez, aceitou, mas, por influência de amigos, passou a frequentar a Igreja Batista e em seguida se batizou.

Em 2010, Marques comprou o livro Ainda Existe Esperança de Enrique Chaij, e para a sua surpresa, algum tempo depois, alguém passou no local onde ele trabalhava e o presenteou com um livro intitulado A grande Esperança da escritora Ellen White.

“Eu fiquei surpreso pelo título do livro e imediatamente fiz uma ligação com o anterior. O que mais me chama a atenção são os capítulos sobre as leis de Deus. Hoje as pessoas não querem cumprir a lei, mas elas conhecem. Eu sempre peço ao pastor da minha igreja para usar esses livros nos nossos sermões”, comenta.

Agnaldo, cada dia mais se interessa pelo conteúdo dos livros e guarda um caderno cheio de anotações e respostas tiradas das literaturas que falam de esperança. “Eu não sei explicar, mas tenho uma ligação muito forte com esses livros. Um dia vi, nas mãos de minha sobrinha, um DVD com o título de um dos meus livros. Achei que era o livro em áudio, mas me surpreendi com tanto conhecimento e aprofundamento que o pastor Luís Gonçalves tem sobre a palavra de Deus”

Agnaldo e família exibem livros que contribuíram para que o o jovem deixasse o caminho das drogas e mudasse de vida.

Agnaldo e família exibem livros que contribuíram para que o o jovem deixasse o caminho das drogas e mudasse de vida.

A transformação

Agnaldo estuda a bíblia há 14 anos e desde então nunca mais usou drogas. É membro da Igreja Batista de Manaquiri, mas simpatiza com os ensinamentos da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que o influenciou, através de suas literaturas, a deixar os vícios e construir uma família.

“Eu mudei da água para o vinho. Fui criado sem pai e sem mãe. O mundo que me ensinou. E quando o mundo ensina, ele é cruel. Minha mãe faleceu de tanto ser maltratada pelo meu pai. Hoje eu vivo com minha esposa há 9 anos e eu jamais trataria minha esposa mal, porque eu aprendi com Jesus a ser um homem doce e suave. Porque Jesus reagia com dureza apenas quando tentavam distorcer a palavra de Deus. A palavra de Deus é como a luz da aurora, que vai brilhando e brilhando fazendo com que a gente enxergue cada dia mais perfeito. No momento certo eu terei de tomar uma outra decisão. Eu sinto sede de conhecimento quando eu leio esses livros” afirma. [Equipe ASN, Daniele França]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox