Notícias Adventistas

Evangelismo resulta em 137 pessoas batizadas na Grande Recife

Programa com duração de uma semana reuniu aproximadamente quatro mil participantes.

Pastor Luís Gonçalves conversa com jovem antes de seu batismo. Ao todo, 137 pessoas firmaram publicamente seu compromisso com Cristo.

Recife, PE… [ASN] O programa público “A última Esperança”, que aconteceu durante a última semana de agosto em Recife, estimulou 137 pessoas a decidir seguir a Cristo por meio do batismo. O projeto, realizado pela Igreja Adventista na Zona Metropolitana de Pernambuco, teve como orador o pastor Luís Gonçalves e louvores do quarteto Arautos do Rei. Durante seis noites, cerca de quatro mil pessoas acompanharam diariamente o evento no Clube Português do Recife, que ainda foi transmitido ao vivo, na íntegra, pela Rádio Dimensão FM 104,5, e pelo site novotemporecife.com.

O nome do programa define o sentimento de algumas das pessoas que se batizaram durante os dias de pregação. Para Matheus Sena, de 17 anos, a entrega a Cristo é um processo de conhecimento e prática de fé. O estudante é de uma família cristã, mas sempre se considerou ateu. E apenas acreditar que Deus não existe não era suficiente para ele. “Deus, para mim, era como o pó. Algo que eu não enxergava e que me incomodava. Mas, ao mesmo tempo que eu O tratava assim, e até O insultava, eu sentia falta de algo que me preenchesse, que me socorresse!”, conta. Matheus conheceu a Igreja Adventista por meio de um amigo virtual, com quem nunca teve contato pessoal. “Ele me fez um desafio. Logo eu, que vivia fazendo desafios para que as pessoas acreditassem no ateísmo e deixassem as superstições religiosas de lado. O desafio desse meu amigo era que eu orasse. E eu tentei fazer isso, e de algum modo, depois que orei, me senti tocado”.

Orações atendidas

Matheus não sabia, mas a avó dele orava todos os dias pela sua conversão ao cristianismo. Depois do contato virtual com o amigo, o estudante começou a analisar a Bíblia, e descobrindo que precisava de ajuda para entender alguns trechos do livro sagrado, procurou pela avó e pela Igreja Adventista. “Durante anos, eu procurei a felicidade em livros, novelas, filmes, futebol, diversão. Mas eu nunca fui tão feliz quanto agora. Eu sinto paz. Estou me batizando pelo pó que surgiu em minha vida, e Ele não me incomoda mais, na verdade, Ele me liberta!”, ressaltou Matheus, minutos antes de ser batizado no programa, diante da avó e de amigos que estudaram a Bíblia com ele.

Quem também orava pela conversão de outras pessoas era Gilmar Silva. Instrutor bíblico, evangelista da igreja adventista no bairro de Brasília Teimosa, na Zona Sul de Recife, Gilmar fez amigos na rua. E uma família em especial fazia parte de suas orações há 18 anos. Uma senhora de 66 anos, e um jovem de 30, que parecia sofrer com uma doença inexplicável. Maria Adelaide da Conceição e Diógenes Diniz eram avó e neto. Os dois frequentavam a Igreja Adventista há mais de 15 anos quando a mãe de Diógenes era viva. Com o tempo, a adolescência trouxe outros interesses para o rapaz, que preferiu “aproveitar” o mundo, como explica: “Era farra, brincadeiras, viver sem tanta preocupação. O mundo me atraia em tudo. Por mais que eu gostasse da igreja, o que estava fora dela me parecia sempre melhor”, conta.

A morte da filha e o afastamento do neto também distanciaram Maria Adelaide da fé. Mas o evangelista Gilmar não desistia deles. Até que Diógenes descobriu uma doença grave. “Uma gastrite nervosa, que me deixa muito mal, e que não tem explicação. Em uma das crises, fui convidado para ir à igreja ver uma pregadora de outro país. Aquela mensagem mudou minha vida. Quando eu sentei no banco, ela disse as seguintes palavras: ‘Deus está pronto para nos ajudar quando declaramos o erro que cometemos. Não importa o quão longe fomos, é possível voltar’. Naquele dia, eu decidi voltar”, relembra o universitário, que há alguns meses está frequentando a igreja e, junto, também levou a avó. Ambos foram batizados no programa “A última Esperança” Recife.

Na plateia, rostos comovidos e gente com vontade de entender mais o que o faz do cristão uma pessoa feliz não passaram despercebidos. Um desses foi o cirurgião vascular Cícero Rodrigues. A alta posição na carreira e as responsabilidades de intensas jornadas de trabalho que varam a madrugada não foram empecilho para o médico assistir a programação nos dias possíveis. “Um amigo me convidou e vim três vezes. No domingo, na segunda e na sexta. Achei tudo muito bonito, muito verdadeiro. Já tenho a minha denominação, nos reunimos de casa em casa, de forma discreta. Mas esse programa, as mensagens do pastor Luís e dos Arautos, realmente me emocionaram. Já os conhecia da TV Novo Tempo, que assisto em minha casa”, compartilha.

Resgatar vidas

Jovem oram durante programa que reuniu quatro mil participantes.

No último dia do programa, um batismo comunitário levou o próprio pastor Luís Gonçalves e o quarteto Arautos do Rei a entrar no tanque e realizar alguns deles. Um desses foi o Severino Francisco Filho, ex-presidiário, solto dois dias antes da cerimônia. “Conheci a Igreja dentro do presídio, pois irmãos adventistas nos visitavam e ofereciam estudos. Ganhei o DVD do pastor Luís Gonçalves e tive a certeza de que, quando saísse da prisão, a primeira coisa que eu faria seria me batizar! Eu só não imaginava que Deus me daria o presente de ser batizado pelo pastor que me mostrou a verdade”, narra, emocionado, o ex-detento. Para o pastor Luís Gonçalves, histórias como essa são o motivo da dedicação em evangelizar.

Segundo o organizador do programa na Grande Recife, pastor Cléber Aragão, os membros foram reavivados. “Muitos que estavam afastados dos caminhos do Senhor puderam retornar e uma multidão selou o compromisso com Deus através do Batismo! Essa semana serviu para quebrarmos muitos paradigmas, e toda a equipe que participou, independente da posição, foi instrumento nas mãos de Deus!”, finalizou. [Equipe ASN, Rebbeca Ricarte]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox