Notícias Adventistas

Evangelismo adventista busca engajamento maior dos membros

 

Marcos, exemplo de evangelista, continua fazendo trabalho de casa em casaBrasília, DF … [ASN] O conceito atual de evangelismo adventista é o de engajamento total. E a ideia está no discurso e na prática dos mais de 200 líderes de evangelismo de oito países sul-americanos reunidos até a próxima quinta-feira, dia 30 de agosto, na sede sul-americana adventista em Brasília.

Como já adiantou o coordenador geral do encontro, pastor Luís Gonçalves, uma das principais decisões que o grupo vai tomar será a de desenvolver em todos os países e regiões grandes treinamentos para evangelistas leigos (que não possuem necessariamente formação teológica, mas realizam séries evangelísticas e atuam fortemente para levar pessoas a tomar posição ao lado de Cristo e se unir à igreja). A meta é capacitar inicialmente mais de 1.400 leigos que deverão realizar mais de dois mil programas evangelísticos especiais. “Os membros vão se engajar no evangelismo de maneira prática”, comenta Gonçalves.

Só que evangelismo não se resume mais apenas a conferências sobre profecia ou outros temas durante um período de tempo. Tem muito a ver com relacionamento permanente com as pessoas, inclusive após o batismo dentro do conceito de discipulado. É o que faz o jovem aluno da APAE, Marcos Alexandre Martins, 25 anos, que deu seu testemunho na abertura do encontro na terça-feira, 28. Junto com sua mãe, Iolanda, ele foi responsável por um contato importante com a psicóloga que o atende e que foi batizada na Igreja Adventista recentemente. O jovem continua em contato com ela e não se cansa de estudar a Bíblia, entregar livros missionários e fazer contato com outros amigos. Foi apresentado no encontro como exemplo do que significa ser evangelista. Nas palavras do pastor Erton Köhler, líder sul-americano adventista presente à abertura, “evangelismo não é missão de um departamento, é missão de uma igreja”.

Evangelismo-escola – O que os pastores ensinam e gente como Marcos pratica tem agora o nome de evangelismo-escola. Nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, os resultados já aparecem. O pastor Raimundo Gonçalves, que coordena as estratégias evangelísticas nessa região do Brasil, explica que há 1 ano e meio mais de oito mil pessoas foram treinadas presencialmente ou via satélite. “Eu vejo maior mobilização nas igrejas e consequentemente batismos ocorrem com gente melhor preparada para os desafios espirituais”, destaca. Duas das mais complicadas metas que a Igreja Adventista nesses estados possuem são a de constituir presença adventista oficial em 389 cidades mineiras e aumentar sua  atuação em conglomerados urbanos como o Grande Rio (região metropolitana do Rio de Janeiro) com mais de 6 milhões de habitantes. O trabalho é combinado com programas pagos e regulares sobre a Bíblia em algumas emissoras das principais cidades.

Na metrópole – Em Buenos Aires, o desafio é gigantesco também, como atesta o pastor David Del Valle, coordenador argentino de evangelismo. Uma das estratégias é recrutar três mil jovens voluntários (calebes) que vão dar estudos nas casas, manter amizade e contribuir para fortalecimento de pequenos grupos, duplas missionárias e classes bíblicas. Pelo menos oito mil interessados se deseja levantar. Del Valle e equipe trabalham para ter, em 2013, até 187 semanas de mensagens próprias para decisão espiritual simultaneamente. “Queremos, ainda, plantar somente em Buenos Aires novas quatro igrejas. E, claro, realizarmos a escola para os evangelistas leigos e pastores distritais”, acrescenta. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox