Notícias Adventistas

Esperança esquecida na prateleira, o livro que transformou uma vida

Maria Erineude Candido exibe o exemplar que já emprestou a dezenas de pessoas a fim de que conheçam o Deus que mudou sua vida. Foto: Thais Firmino Fortaleza, CE…[ASN] Durante dois anos Maria Erineude Candido trabalhou em uma casa na cidade de Canindé (CE). Um dia, ela foi designada para organizar e limpar uma prateleira repleta de periódicos e edições. O que essa senhora de 59 anos não sabia é que aquela atividade mudaria a sua vida por completo.
Em meio a livros e revistas escolhidos para descarte, Erineude foi indagada se não queria levar os exemplares de revistas ainda lacradas para casa. Ela recusou a oferta, mas em meio àquele montante um livro lhe chamou a atenção. Ao abaixar o titulo lhe causou maior curiosidade, tratava-se do “O Grande Conflito”. Ela decidiu levar o livro, somente ele. Uma luta estava começando.
A vida de Erineude nunca tinha sido bem resolvida no quesito religião. Ela frequentou diversas igrejas a fim de encontrar algo que tocasse o seu coração e a fizesse sentir bem, mas não obtinha êxito. Sua amiga Tereza, que faz parte da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), constantemente a convidava, mas, segundo ela, essa era a única denominação religiosa que não aceitava ir. Maria Erineude havia aprendido que se tratava de uma seita, por isso negava todos os convites. Em meio a toda essa busca uma oração era mantida em seus lábios: “Senhor, me coloca no caminho certo”. Ele colocou.
“Quando comecei a ler o livro, já no terceiro capítulo, soltou a lente do meu óculos. Tive que parar a leitura porque não tinha condições de fazer novos óculos”, afirmou Erineude. Esse fato ocorreu cerca de três vezes, nas duas últimas seus óculos tiveram perda total. Seu olho ficava irritado e não conseguia prosseguir na leitura. Até que, com a ajuda de Deus, conseguiu comprar mais um óculos, porém seu médico informou que ela estava com catarata e deveria fazer uma cirurgia ou comprometeria sua visão. Erineude não quis conversa, não queria fazer cirurgia. Saiu do consultório e foi direto para casa ler “O Grande Conflito” antes que ficasse impossibilitada.Esse contexto durou um ano, mas a perseverante senhora concluiu a leitura. Então, já certa de que a Igreja Adventista não é uma seita, procurou sua amiga Tereza para saber como poderia guardar o sábado e começou a fazê-lo. Errando aqui, acertando ali, ela percebeu que precisava de algo mais, então aceitou a proposta de estudar mais a Bíblia. Após esclarecidas as dúvidas tomou a decisão de seguir a Cristo e ser batizada. “A Igreja Adventista mostra a verdade, o que está na Bíblia. Agora, tenho a certeza de que encontrei o lugar certo”, concluiu. [Equipe ASN, Thais Firmino].

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox