Notícias Adventistas

Encontro de anciãos fortalece os “substitutos dos pastores”

Os momentos de palestras são fundamentais para o fortalecimento espiritual dos participantes

Os momentos de palestras são fundamentais para o fortalecimento espiritual dos participantes

São Paulo, SP… [ASN] De acordo com a organização  da Igreja Adventista do Sétimo Dia, o pastor não é o único responsável pela liderança da igreja. Ele possui um braço direito. Alguém que pode o substituir e tomar conta das situações quando necessário. A essas pessoas é dado o título de anciãos. Para fortalecer ainda mais a vida delas, a Paulistana realizou um encontro especial com todos os anciãos de suas igrejas. Durante dois dias, 215 participantes inscritos, entre outros, ficaram concentrados no Centro de Treinamento de Cotia, em contato com novas informações e mais aprendizado.

No Estado de São Paulo existem 1,7 mil igrejas e um número total de 500 pastores. O que indica que a igreja não pode depender somente deles, segundo o pastor Edilson Valiante, líder ministerial para o Estado. O pastor fez alguns momentos espirituais além de dar uma palestra sobre como  fazer um sermão expositivo. Essa é a forma mais básica de se construir um sermão e os anciãos devem dominar essa técnica, segundo Valiante.

O pastor José Sílvio, que trabalha na área ministerial da Paulistana, também fez questão de valorizar o papel do ancião. Muitas vezes, eles são pessoas que nasceram, cresceram, e colaboraram muito para o crescimento da igreja que frequentam. Não é simplesmente o acaso que os levaram ali, de acordo com o pastor. “Eles fazem um trabalho de extrema dedicação e hoje são grandes líderes”, declara.

Foram dois dias de concentração divididos em aprendizado, lazer e adoração

Foram dois dias de concentração divididos em aprendizado, lazer e adoração

Um exemplo dessa dedicação é Cláudio de Freitas, da igreja de Vila Margarida, em São Vicente. Ele mora na rua da igreja e diz que qualquer coisa que acontecer é só gritar “Cláudioo”, e ele corre para atender o problema. “Eu abro igreja, fecho igreja, minha vida social é na igreja. Temos o costume de estar 24 horas envolvidos com a igreja”, declara o ancião aplicado. Seu esforço e empenho serviram de exemplo. O filho também virou ancião.

O objetivo principal do encontro foi preparar ainda mais o ancião, para que ele possa estar sempre pronto a atender a congregação. O pastor Ismael Forti, que também trabalha com a parte ministerial da Paulistana, explica que o ancião, na ausência do pastor, é o líder absoluto da igreja. Por isso é uma função que requer muita responsabilidade. “A Paulistana ao realizar um evento como esse, quer prepará-los para que possam cumprir a missão e os objetivos de Deus para eles”, diz Forti. [Equipe ASN, Gabriel Stein de Servi]

 

 

[fve]http://youtu.be/SqzeNajtVA4[/fve]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox