Notícias Adventistas

Dia contra violência será oficial em Niterói

População de Niterói e visitantes assinaram petição para tornar 24 de agosto o Dia Oficial Contra a Violência na cidade.

Pessoas de todas as idades distribuíram baloes, revistas e folhetos.

Pessoas de todas as idades distribuíram balões, revistas e folhetos.

Em Niterói, RJ, moradores e turistas foram surpreendidos na tarde de sábado, 24 de agosto, quando passaram pela orla de Icaraí e se depararam com uma manifestação pra lá de pacífica! Aproximadamente mil pessoas foram divididas em grupos a partir do Museu de Arte Contemporânea (MAC) até o final de quase dois quilômetros da praia. Setenta faixas medindo 4 x 1,4 metros foram posicionadas estrategicamente para que motoristas e pedestres pudessem visualizar palavras e imagens chocantes alusivas a diversos tipos de violência contra a mulher, a criança e o idoso.

Os distritos de Niterói, Fonseca, Itaipu, São Gonçalo e Alcântara se uniram às equipes da Associação Rio Fluminense (ARF) e União Sudeste Brasileira (USeB) e quebraram o silêncio com a distribuição de 60 mil folhetos, 16 mil revistas. Quase 2 mil balões foram distribuídos para as crianças e os jovens ofereceram abraços em troca de sorrisos.

Para o pastor Gustavo Schumann, presidente da ARF e organizador do ato, “reunir tantas pessoas em Icaraí com esse objetivo é a realização de um sonho. De forma bem organizada e espiritual, esse movimento abrirá as portas para projetos ainda maiores na região.”

Várias pessoas fizeram questão de registrar seu apoio assinando a petição que visa tornar 24 de agosto o Dia Oficial Contra a Violência. A psicóloga Mariza Batista ficou admirada com o projeto. Para ela esse trabalho é de grande valor. “Nós estamos precisando demais de movimentos como esse. Só assim poderemos conscientizar a população e ter o apoio dela para conter a violência.”

A responsável pelo projeto em toda a UseB, Sara Lima, disse que esta data é muito esperada pelo Ministério da Mulher. Toda a América do Sul se mobiliza de diferentes formas para pregar a mesma mensagem. “A comunidade precisa nos conhecer como aqueles que querem a paz e o amor entre a família e a sociedade”, enfatiza.

O Rio de Janeiro é um dos estados com maior número de atendimentos a mulheres vítimas de violência. Segundo o Instituto de Segurança Pública, no 1º trimestre de 2013 houve um crescimento de 36% no numero de estupros em relação ao mesmo período no ano passado.

De todas as ocorrências registradas por mês nas delegacias do estado, cerca de 40% são de agressão infantil. Esses números ainda são muito menores do que os casos que realmente acontecem, mas nos últimos anos as denúncias têm aumentado muito graças a conscientizações como essas. [Equipe ASN, Artur Buitrago e Tatiana Buitrago. Fotos: Osimar Fonseca]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox