Notícias Adventistas

Curso de colportagem do estado de São Paulo reúne 500 participantes

Por Lucas Rocha

Curso geral de colportagem reuniu cerca de 500 pessoas. Evento foi realizado no Unasp-EC

Curso geral de colportagem reuniu cerca de 500 pessoas. Evento foi realizado no Unasp-EC

Entre os dias 23 e 26 de janeiro, cerca de 500 pessoas participaram do curso geral de colportagem, realizado no Centro Universitário Adventista de São Paulo campus Engenheiro Coelho (Unasp-EC). O evento, organizado pela igreja adventista no estado de São Paulo (UCB), contou ainda com a presença do Pastor Howard Faigao e do Pastor Tércio Marques, líderes de publicações da IASD para o mundo e para a América do Sul, respectivamente. Também estiveram presentes o diretor geral, José Carlos de Lima, e o gerente de vendas, João Vicente Pereyra, da Casa Publicadora Brasileira (CPB). O evento ressaltou que o colportor é enviado para salvar.

Realizado a cada cinco anos, o curso foi marcado pela empolgação dos evangelistas de literatura. Logo na abertura do evento, as Associações tiveram a oportunidade de mostrar traços de sua cultura regional. Ao final da apresentação de cada associação, foram realizados batismos de pessoas evangelizadas pela colportagem. Em seguida, o Pastor Domingos Sousa, líder da IASD no estado de São Paulo, dirigiu a mensagem aos colportores.

Nos dias seguintes, mais mensagens enfatizaram que o colportor é um enviado por Deus para salvar pessoas. Foram mais de 10 horas em que os participantes puderam renovar suas energias ouvindo os palestrantes do curso. Para o líder mundial de publicações, o apoio dado aos colportores é de extrema importância para as pretensões de crescimento da igreja. “Hoje nós temos vários meios de evangelismo. Temos semanas de evangelismo, escolas, hospitais, mas ainda assim, muitos não conhecem a igreja. A colportagem nos ajuda a alcançar essas pessoas”, afirma. Para o líder da IASD no Estado de São Paulo, pr. Domingos Sousa, os colportores são extraordinários por serem “valentes, destemidos e servos de Deus”.

Você pode ver mais fotos do evento na nossa fanpage no facebook. Acesse: fb.me/Efwxwaw3

Há, atualmente, 850 colportores trabalhando no Estado de São Paulo. Este número contabiliza os colportores efetivos e ocasionais. No ministério de publicações, há três tipos de colportores: os efetivos, ocasionais e os estudantes. Os colportores estudantes realizam seu trabalho no período de férias, entre o final de dezembro e início de fevereiro (férias de verão) e durante o mês de julho (férias de inverno). Ao longo do ano de 2012, foram recrutados 1094 estudantes para o trabalho da colportagem no Estado de São Paulo.

Já os colportores efetivos são aqueles evangelistas de plantão. Ficam o ano inteiro disseminando a mensagem adventista por meio de livros e revistas. Todo o seu sustento é obtido por meio da colportagem. E os colportores ocasionais são aqueles que têm outro emprego e, de forma esporádica, pregam o evangelho por meio da literatura. Existem médicos, advogados e empresários que são colportores ocasionais.

O Pastor Domingos revela o desejo de expansão da colportagem no Estado de São Paulo. “Nós precisamos aumentar o número de colportores no Estado de São Paulo porque eles fazem a diferença na distribuição de literatura de saúde, educação e espiritual. A meta é de ter pelo menos um colportor evangelista em cada igreja”, planeja.

Pilar da Igreja

A colportagem sempre foi um pilar no avanço da pregação do evangelho, abrindo novos lugares. Os primeiros adventistas da maioria dos países da América do Sul se devem ao trabalho da colportagem. De modo que, se a igreja no contexto da Divisão Sul Americana fosse uma grande árvore, com vários galhos e que desse muitos frutos, a semente que lhe deu origem seria a colportagem. “De todos os países da Divisão Sul Americana, apenas a igreja no Peru não teve seu início pela colportagem”, lembra Carlos de Lima, diretor geral da CPB. Segundo ele, a própria CPB existe para servir à colportagem, ao evangelismo por meio da literatura.

Embora represente a fonte de renda dos colportores efetivos, o objetivo da colportagem é o evangelismo. O Pr. Marco Aurélio, responsável pelo ministério de publicações da IASD no Estado de São Paulo ressalta que a única razão para a existência desse departamento na organização da igreja é a pregação do evangelho. “A Colportagem nasceu na mente de Deus e é uma forma eficaz que a igreja tem de evangelizar. Creio muito nesse ministério, Ellen White diz que será um dos últimos meios disponíveis para pregar a mensagem de salvação. Penso que o colportor é um homem de Deus que tem uma atividade sublime e a profetiza o compara sendo tão importante quanto o trabalho do pastor. Deus seja louvado por esse ministério e pelos valentes soldados do Senhor que temos na UCB”.

Para Leonardo Sena, colportor da região sul de São Paulo, foi a salvação de outras pessoas que o motivou a ser um evangelista de literatura. “Buscamos sempre encontrar o equilíbrio entre vendas e salvação”, afirma.

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox