Notícias Adventistas

Wilson Borba

Wilson Borba

Sola Scriptura

As doutrinas bíblicas explicadas de uma forma simples e prática para o viver cristão.

O marido é “o cabeça da mulher”?

“O parâmetro regulador [da submissão no matrimônio] será a vontade de Cristo, e não a do cônjuge”. Foto: Shutterstock

Parece que a comemoração do Dia Internacional do Homem em 19 de novembro (e do dia nacional em 15 de julho) surgiu como “tentativa de equilíbrio e resposta ao dia internacional da mulher, comemorado em 08 de março”.[i] A ocasião tornou-se oportuna para enfatizar o cuidado da saúde, destacar os papeis positivos do homem na sociedade, e recomendá-lo a reconhecer suas responsabilidades.[ii]

Infelizmente, algumas discussões a respeito dos papeis do homem e da mulher permanecem na periferia, sem focalizar seriamente a divina instituição da família, a qual Rui Barbosa já considerava como a “célula mater da sociedade”.[iii] A família foi originada e tem sido perpetuada desde o Éden, através do santo matrimônio monogâmico e heterossexual (Gênesis 2:18), isto é, entre apenas um homem e uma mulher (Mateus 19:4-6).[iv]

O propósito deste breve artigo é responder uma pergunta atinente aos papeis do marido e da esposa no casamento: “É o marido o cabeça da mulher? ”

Divinamente inspirado (2 Timóteo 3:16), o apóstolo Paulo recomendou que “as mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher como também Cristo é o cabeça da Igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo” (Efésios 5:22, 23).

Estaria Paulo rebaixando a mulher ao ponto de sua individualidade ser absorvida na do marido? Definitivamente não é este o sentido. O contexto e significado correto é outro. Paulo fala às estruturas sociais do seu tempo, representadas por três pares de classes de pessoas: esposas e maridos, filhos e pais, servos e patrões (Efésios 5:22-33; 6:1-4; 6:5-9).

O apóstolo não ignorava os abusos perpetrados nas sociedades da sua época. Exatamente por conhecer o contexto circundante, Paulo procurou “inundá-las com os valores do evangelho”.[v] Ele desejava que os seis grupos que formavam a família oriental caminhassem na ordem divina para que Cristo fosse honrado, o evangelho adornado e as igrejas locais, fortalecidas.[vi]

Paulo está trabalhando com o princípio da harmonia aplicando-o ao relacionamento de maridos, esposas, pais, filhos, patrões e servos.[vii] Na esfera em foco, o motivo da submissão é porque a mulher foi feita por causa do homem (Gênesis 2:18-20), mas não inferior ao homem, pois ela é “osso dos seus ossos e carne da sua carne” (Gênesis 2:23). A subordinação é porque Deus colocou o marido primeiro na ordem da criação como chefe do lar, assim como Cristo é o chefe da igreja (Gênesis 2:18; Efésios 5:23).[viii]

A palavra cabeça é tradução do substantivo grego κεφαλή (kephalē), e também pode ser traduzida por principal. Se Cristo é o Cabeça da Igreja, é o Cabeça tanto do marido como da esposa. Este princípio regulará a submissão da mulher ao marido de um lado “em tudo”, e do outro, “como ao Senhor” (v. 22). O parâmetro regulador será a vontade de Cristo, e não a do cônjuge. Quando o senhorio de Cristo alcança o coração do marido e da esposa, o casamento é uma verdadeira bênção.

O relacionamento entre Cristo e a Igreja é para “iluminar a qualidade de subordinação da esposa ao seu marido”[ix], e também a “qualidade do amor do marido para com a esposa”. Nesta relação o marido não deve tiranizar e a mulher não deve governar.[x] Ambos devem seguir o modelo Jesus Cristo. O homem tem mais responsabilidade como líder, portanto deve adiantar-se em imitar a Cristo.

“Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Efésios 5:25). A submissão da Igreja a Cristo é uma amorosa resposta ao seu amor sacrifical. Assim, a submissão da esposa deveria ser uma resposta ao amor sacrifical e abnegado do marido. O marido deve amar a esposa como Cristo amou a igreja, e também como ao seu próprio corpo. “Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa, a si mesmo se ama” (Efésios 5:28).

Esta é uma explícita referência a Gênesis 2:24. “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”. A propósito, “Eva foi criada de uma costela tirada do lado de Adão, significando que não o deveria dominar, como a cabeça, nem ser pisada sob os pés como se fosse inferior, mas estar ao seu lado como sua igual, e ser amada e protegida por ele”.[xi]

As mensagens de Paulo tinham relevância para todas as pessoas, famílias e grupos sociais que existiriam em outras épocas e culturas. Conforme Hasel, a Palavra de Deus não está condicionada culturalmente. Ela transcende as culturas e nos alcança no presente.[xii] A recomendação de Paulo de que a mulher deve “submeter-se ao marido, por ele ser o cabeça da mulher continua válida.

O Filho de Deus iniciou seu ministério em um casamento. Sua aprovação e milagre realizado são evidências do valor e vigência dessa santa instituição, e uma demonstração do que deseja fazer no seu e no meu casamento. Marido e esposa, não percam tempo, convidem a Jesus para entrar em seu casamento. Ele é a solução e o modelo. Funciona!

 

 

[i]“Dia Internacional do Homem”, https://www.calendarr.com/brasil/dia-internacional-do-homem/ (Consultado em 09 de julho de 2017, 21:55h).

[ii]Ibid.

[iii]Rui Barbosa de Oliveira, Obras Completas, Rui Barbosa (Rio de Janeiro, Senado Federal, 194), 3:86.

[iv]Para um estudo sobre a teologia do casamento ver: Ekkehardt Mueller, Elias Brasil de Souza, org., Casamento, 1ª ed. (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2015).

[v]Bíblia de Estudo Andrews (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2015), 1539.

[vi]R. E. Gingrich The Book of Ephesians (Memphis, TN.: Riverside Printing, 1997), 39.

[vii]W. W. Wiersbe, The Bible Exposition Commentary: “An exposition of the New Testament comprising the entire ‘BE’ series” (Wheaton, Ill.: Victor Books, 1996), Eph 5:21.

[viii]Believer’s Study Bible Criswell Center for Biblical Studies, Electronic Ed.(Nashville: Thomas Nelson, 1997), Eph 5:22.

[ix]T. R. Y. Neufeld, Ephesians Believers church bible commentary (Scottdale, PA: Herald Press, 2001), 256.

[x]A. Clarke, Clarke’s Commentary: Ephesians, electronic ed. Logos Library System (Albany, OR: Ages Software, 1999), Eph. 5:22.

[xi]Ellen G. White, Patriarcas e profetas, 16ª ed. (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2013), 46.

[xii]Frank M. Hasel, “Reflections on the Authority and Trustworthiness of Scripture”, em Issuesin Revelation and Inspiration (Berrien Springs: MI, Adventist Theological Society Publications, 1992, 208-209.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox