Notícias Adventistas

Michelson Borges

Michelson Borges

Ciência e Religião

As principais descobertas da ciência analisadas do ponto de vista bíblico.

O mistério da “explosão cambriana”

micbSegundo matéria publicada no portal Terra, uma pesquisa da universidade americana Yale no Marrocos descobriu que alguns dos mais estranhos animais já descobertos no planeta viveram muito mais do que se imaginava, pelo menos 10 milhões de anos, segundo a cronologia evolucionista. As espécies em questão eram do período Cambriano (de 542 milhões a 488 milhões de anos atrás, na mesma cronologia), mas chegaram a viver no início do período Ordoviciano. A reportagem dá conta de que essas descobertas podem mudar algumas crenças científicas, como, por exemplo, a de que esses seres “esquisitos” viveram por pouco tempo.

Segundo a própria universidade explica, o Cambriano – uma época em que a vida era essencialmente marinha – é conhecido também como “explosão cambriana”, devido ao súbito aparecimento da maioria dos grandes grupos animais e o estabelecimento de um complexo ecossistema. Os pesquisadores analisaram mais de 1,5 mil espécimes encontradas em um deserto no Marrocos.

Conforme Derek Briggs, um dos autores do estudo publicado na revista Nature, a maioria dos fósseis do Ordoviciano mostra as partes mais duras dos animais, como conchas, mas os descobertos no Marrocos preenchem parte dessa lacuna. A pergunta que nunca cala é: como explicar esse súbito aparecimento de animais complexos (como os trilobitas, que tinham até mesmo olhos de calcita) no período Cambriano, sem qualquer evidência de ancestrais válidos no pré-Cambriano? O problema é que toda essa vida exuberante simplesmente “surge” (explode) nesse período. Mágica? Seria mais fácil entender que essas formas de vida com pouca capacidade de locomoção viviam nos leitos oceânicos pré-diluvianos e foram sepultadas ali pelos sedimentos do dilúvio, por isso mesmo estão na base da “coluna geológica”.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox