Notícias Adventistas

Diego Barreto

Diego Barreto

O Reino

Vivendo Já o Reino de Deus enquanto Ele ainda não voltou. Um olhar cristão ao mundo contemporâneo.

Série discípulos, capítulo 4: A mídia de Deus

voce-e-a-midia-de-DeusOs cristãos fazem parte de um reino. Para falar a verdade, eles mesmos compõem e constituem esse reino. A Bíblia repete essa ideia inúmeras vezes. O próprio Jesus nos informa que o reino é algo que está em nós (lucas 17:21). Mas uma das afirmações que mais me empolgam está em apocalipse 5:9-10.

Ao falar sobre a cena de entronização de Jesus no Céu, o capítulo narra um novo cântico que diz: “Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra” (grifo acrescentado).

Nesse versículo nós vemos que o reino de Deus é constituído pelos salvos do Cordeiro. Foram recomprados para fazer parte agora de um novo reino do qual eles são parte. Mas o que isso quer dizer na prática? Assim como as palavras de Jesus sobre o reino estar em nós? Como isso se torna tangível na minha vida de discípulo?

Para chegar a esse entendimento claro, é preciso entender a palavra sacerdotes, a qual também fomos constituídos pelo ministério de Cristo. O que Ele quer dizer com isso? Basta lembrarmos do papel do sacerdote. É fato que tudo no Santuário terrestre remete a Jesus Cristo, mas alguns símbolos ou sombras dos desenhos que o ritual do santuário didaticamente pintava também remetem a fatos, momentos e lugares e agentes em todo o plano da salvação. É o caso do sacerdote que em sua função de mediar entre o homem e Deus se assemelhava a Cristo, como nosso “único mediador” (1 Tim 2:5), mas também era figura e sombra de um outro personagem. Você, discípulo de Cristo.

Veja I Pedro 2:9 com grifos acrescentados: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. Perceba que nós que somos “raça eleita, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus” somos também “sacerdócio REAL”. Em outras palavras o texto está nos apontando como cumprimento ou verdade do sacerdócio, aquele que media entre os homens e Deus. Você pode pensar, mas só Jesus é o mediador, só Ele pode interceder. Seu pensamento está perfeito, no entanto o texto de I Timóteo 2:5 se refere a Cristo como Mediador entre nós e o Pai, e perdoador de pecados. Mas quem é que apresenta Cristo a uma pessoa? Não somos nós, os participantes do reino?

Jesus não costuma aparecer do nada para as pessoas, são outras pessoas que repetindo aquilo que Ele fez por elas que apresentam Ele. É bem o que o texto diz, somos chamados para ser sacerdotes, para proclamar aquele que nos tirou das trevas e nos pôs na luz, mediadores entre os homens que não conhecem a Deus. Somos a mídia de Deus. Mídia é meio. É tudo aquilo que está no meio entre o emissor da mensagem e o receptor dela. Por isso chamamos televisão, rádio e internet de mídia, porque são meios. Em si mesmos eles não têm nada para dizer, dependem de um emissor que os use para enviar uma mensagem ao receptor.

Mídia é o papel que recebe a tinta, o aparelho que conecta pessoas, o método de alcance, e nós somos a mídia de Deus. É por nós que Ele envia seu recado, por nós que Ele toca, por nós que Ele tira a fome, mata a sede, cobre o nu, se faz presente. É por nós que Seu amor é exibido, Seu sorriso se manifesta e a bondade se materializa em um mundo mau. Nós somos “a luz do mundo” (Mt 5:14) iluminando as trevas que nos rodeiam e fazendo as pessoas reconhecerem a Jesus por meio dela (Mt5:16). Somos sacerdotes, somos mídia, somos o próprio reino. As pedras que fundamentam esse reino são as vidas de verdadeiros discípulos, cristãos verdadeiros que ativamente brilham, salgam, transformam, exibem e manifestam a presença de Deus de verdade e de fato.

“Deus é espírito”, mas se manifesta de maneira material em Jesus Cristo. E nós, seguidores dEle, manifestamos no mundo real e material tudo aquilo que Ele nos deu de maneira espiritual. Esse sacerdócio é para todos! Ninguém fica de fora! Não podemos viver uma fé que depende de pastores e outros ministros que nomeamos “sacerdotes” na Terra. Todos nós somos. Eu sou pastor, mas digo a você leitor, que sua oração tem tanto poder quanto a minha. Digo a você que seu ministério é tão importante como o meu. Eu trabalho em um determinado contexto, fui chamado por Deus para cuidar da igreja, é só isso, mas você também tem o seu contexto para atuar, e foi chamado por Deus para ser Seu reino onde você estiver e com os dons que Ele lhe deu. Os homens que estão nas trevas dependem do seu ministério. Abandone sua vida de “esquenta banco” porque não há discipulado nela. Pise firme nos caminhos de Jesus, siga-O!

A pergunta que prometi responder no capítulo 3 dessa série finalmente pode ser respondida. Como você vai pregar o evangelho? Fazer sua parte? Acompanhe a leitura de I Pedro 2:5 com grifos: “Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo”.  Somos construídos para ser casa. Casa serve para quê? Para morada! Deus quer nos fazer casa espiritual! O Espírito Santo habitara em nós. Você precisa crer, que aquEle que te chamou fará em você a obra necessária, para que você seja edificado essa casa onde Ele habita e de onde Sua luz brilha. Todos nós temos dons e talentos que Deus nos deu. Quando nos colocamos à disposição de Deus usamos aquilo que nós já temos de melhor, e aquilo que Ele nos deu quando o aceitamos a sua disposição.

Se você não sabe qual é o seu dom, não tem problema, se coloque à disposição de Deus no trabalho e Ele irá te revelar o teu dom de maneira clara. Isso será parte da sua experiência espiritual com Ele. A única coisa que não pode acontecer é você ficar parado, de fora do discipulado, alheio às necessidades daqueles que estão nas trevas e não conhecem o teu Deus. Vá para o campo da missão, assuma o seu ministério, e Deus irá te dar o poder para realizar tudo o que for preciso. E nesse processo, você o conhecerá ainda melhor, e saberá o que Ele pensa de você, o que Ele planejou para você, conhecerá o seu propósito de vida e terá um relacionamento vivo com o Mestre que você tem seguido.

Qual o meu ministério? Seu ministério é o seu dom, o seu talento. Isso é o que Deus chamou você para ser, por isso te deu esses dons. “Meu talento, meu ministério” diz um slogan da Igreja Adventista para 2016, e isso é muito verdade. Seu ministério está naquilo que Deus te conferiu como poder, para que você como Sacerdote e Reino use essas ferramentas que o Espírito Santo concedeu a você para amar, salvar e servir.

Você é a mídia que Deus escolheu para se revelar ao mundo. Por isso Ele te converteu (capítulo 1 desta série) mudando o seu rumo completamente, te colocou uma missão no coração (capítulo 2), te enviou para um contexto onde haviam pessoas a ser alcançadas (capítulo 3) e fez morada em você, te dando poder para fazer novos discípulos do Mestre. E o ciclo recomeça.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox