Notícias Adventistas

Carlos Magalhães

Carlos Magalhães

Igreja Conectada

Coluna fala sobre como levar a mensagem de Cristo ao maior número possível de pessoas com tecnologia digital e os recursos presentes no universo web.

Adorador.com

A tecnologia muda o mundo, e o mundo… muda a gente?

Você é do tempo em que os projetores de slide e retroprojetores eram um diferencial nos cultos e séries de evangelismo? Pois é, o tempo passou rápido e hoje boa parte das igrejas já possui vídeo-projetores de alta resolução.

Tenho visitado igrejas em que as pessoas não levam mais o hinário porque as letras estão na “tela”. O uso dessa tecnologia foi tão absorvido que modificou o formato da adoração. Hoje a igreja dispõe de vários vídeos e apresentações em Powepoint para serem usados em vários desses momentos.

Assim como projeção de vídeos alterou o formato da adoração nos cultos é possível que, com a tecnologia da Internet, ocorram mudanças ainda mais radicais e profundas que impactarão a mente do adorador.

Nesse artigo vamos analisar brevemente como a Internet já está impactando alguns membros de igreja. Vamos denominá-lo “adorador.com”, ou seja, aquele que, em tempos de Internet, usa essa tecnologia na adoração e missão. Por um prisma mais otimista, vamos tentar imaginar como podemos nos adaptar as mudanças atuais e futuras, de forma positiva.

Superficiais ou mais Inteligentes?

Uma críticas mais severas à geração “internetizada” é a de que não possuem profundidade de pensamento e sofrem com o déficit de atenção. Ou seja, sua mente agitada e inquieta faz com que consumam muitos conteúdos de forma rápida, mas sem detalhamento, reflexão e profundidade. Por outro lado, alguns pesquisadores creem que eles são mais inteligentes, pois desenvolveram maior capacidade seletiva, acumularam experiência e conhecimento que seus pais e avós “juntos”.

Aplicando isso ao adorador.com significa que temos um grande desafio para transmitir ou “compartilhar” nossa fé para as próximas gerações. Desafio, porque precisaremos adaptar ou mudar alguns métodos. Exemplo: o adorador.com se dispersa rapidamente quando o assunto falado do púlpito não lhe interessa. Seu primeiro instinto é se conectar a algo mais interessante. Talvez isso explique a postura da cabeça baixa devido o crescente uso de smartphones dentro da igreja.

Para contornar esse déficit de atenção os especialistas sugerem algumas coisas:

O uso de histórias para explicar conceitos abstratos.

Snack Content ou pedaços curtos de conteúdo em várias vezes para facilitar a assimilação e retenção.

Relevância do conteúdo para quem ouve.

Aplicação prática. Responder qual é a importância prática do que está sendo exposto.

Estímulo visual e imaginação. O adorador.com adquire conhecimento por meio de vídeos e imagens com mais frequência que pela leitura de livros. Uma história assistida em vídeo atrai mais sua atenção. Mas, também é comum que ele leia livros de muitas páginas desde que contenham histórias que incitem a imaginação. Isso significa que a produção de conteúdo audiovisual, o uso de histórias ou parábolas como no método de Jesus, continuará sendo importante para a transmissão das verdades do evangelho.

A interação é essencial para o adorador.com. Não só porque enquanto ele interage é sinal de que está engajado no conteúdo, mas também porque ele precisa ter liberdade para expressar sua opinião e saber o que outros amigos estão pensando. Exemplo: em muitas igrejas já é possível perceber que, durante o culto, alguns adolescentes (adultos também) estão no Whatsapp ou outros aplicativos de mensagens enquanto o pregador fala. Saiba você ou não, alguns estão comentando o que estão ouvindo, de maneira positiva ou não, mas estão interagindo. Poderia ser interessante se o pregador interagisse com eles ao mencionar ou esclarecer algumas dessas opiniões durante o sermão. Também ele poderia incentivá-los a registrar e mais tarde compartilhar as coisas mais marcantes do culto com os amigos que não vieram ou não estão na igreja.

O adorador.com é multitarefa. Alguns pesquisadores não acreditam que a mente humana possa focar várias coisas ao mesmo tempo. O que a geração atual faz é dar pequenas frações de atenção a várias coisas de maneira muita rápida. Isso explica porque o adorador.com sofre com alguns cultos. Ficar parado, olhando para a mesma direção, apenas ouvindo em silêncio, sem interação e por longas horas, beira ao martírio e é quase impossível para sua mente agitada. Uma solução seria a mudança da liturgia nas igrejas, mas isso pode provocar um problemático choque de culturas e conflito entre gerações. Por isso será necessário muita pesquisa e a direção divina para reter o adorador.com dentro dos templos evitando a fuga para um culto on demand (a pessoa escolhe quando, onde e quem assistir).

O adorador.com e a Esperança. Ele se engaja facilmente se crê que uma causa é justa. Ele tem esperança de que sua atuação somada com a de outros pode mudar o mundo. Ele gosta de colaborar mesmo quando não tem recursos. Daí ele compartilha com outros na esperança de que alguém possa. Essa vontade de participar de causas, somada a sua habilidade de usar as redes sociais, fazem dele um poderoso comunicador capaz de influenciar milhões de outras pessoas.

O adorador.com é transparente. Ele expõe sua vida, sonhos e desejos publicamente nas redes sociais. Não se envergonha disso, mas odeia a hipocrisia e o formalismo. Na verdade, a hipocrisia não faz parte do seu estilo de vida. Ele assume quem é e tem orgulho de, às vezes, ser diferente. Imagine o poder de influência que ele possui quando dá um bom testemunho ou quando recomenda algo. Os que estão conectados a sua rede de amizades sabem que é verdade porque a autenticidade é uma moeda entre eles. Um exército de pessoas assim poderia abalar o mundo testemunhando o amor de Cristo.

Em artigos futuros expandiremos mais a questão do adorador.com. No momento, talvez seja interessante refletir que essa ruptura de pensamento e comportamento alavancado pela Internet, veio para ficar e intensificará ainda mais os abismos entre as gerações. Não temos como frear a mudança. Mas, também não temos que recear quanto ao futuro porque Deus está no comando da sua igreja. Precisamos sim, nos adequar, talvez aposentando algumas ferramentas antigas ou criando outras novas, mas com o objetivo de preparar uma geração que irá edificar as antigas ruínas…

“Os que de ti procederem, edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações; e serás chamado reparador da brecha, restaurador de veredas para que o país se torne habitável”. Isaías 58:12

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox