Notícias Adventistas

ADRA e voluntários em ação nos rios do Amazonas

Atendimento oftalmológico para os ribeirinhos.Amazonas… [ASN] Deixar de lado todo o conforto que uma metrópole pode oferecer em um fim de semana e aventurar-se pelos rios e comunidades ribeirinhas do Amazonas foi o que uma equipe da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais) Regional Amazonas e uma turma de voluntários, entre universitários, médicos e outros, fez nos dias 21 e 22 de abril, na chamada Missão Beruri II. Os participantes desse trabalho visitaram a Comunidade do Pupunha, às margens do Lago homônimo, um dos muitos braços do grande Rio Solimões, no distrito de Beruri.
A Comunidade do Pupunha tem 100 famílias que desfrutam de energia elétrica durante as 24 horas do dia – artigo raro e de luxo para uma comunidade ribeirinha. Porém, embora haja esse conforto, o lugar é bem pobre e com necessidades muito maiores do que apertar o interruptor e iluminar o ambiente. Por exemplo, nem todas as casas têm banheiro; informação de higiene não parece fazer parte da educação; o prédio escolar tem apenas três salas para todas as crianças da comunidade e o esforçado agente de saúde se desdobra para atender os moradores mesmo sem ter material suficiente. Uma realidade muito contrastante com o que muitos estão acostumados.

Durante o sábado e o domingo, os moradores do Pupunha puderam fazer consultas com médicos, tirar dúvidas de saúde, receber medicação adequada e, nos casos mais graves, encaminhamento cirúrgico ao Hospital Adventista de Manaus, através de seu departamento de Serviço Social. Consultas oftalmológicas também foram feitas. Com equipamento de ponta os pacientes saíam da consulta sabendo do seu problema. Com os resultados em mãos a ADRA Regional Amazonas está providenciando óculos para quem precisa.

Atendimento médico e encaminhamento para hospital nos casos mais graves.Cerca de 200 atendimentos clínicos foram feitos durante esses dois dias, sendo que algumas dessas pessoas receberam orientações médicas pela segunda ou terceira vez na vida tendo crianças que nunca foram consultadas antes. Visitas domiciliares também foram feitas às pessoas sem condições de andar até a base de atendimento. Embora haja na localidade um agente de saúde, faltam-lhe condições adequadas para servir os moradores. Se alguma ocorrência mais grave acontecer, é preciso se deslocar até a comunidade mais próxima, Caviana, onde existe um Posto de Saúde.

Um adolescente de 16 anos, Marçuelinton Castro, morador da Comunidade Bom Jesus, vizinha de Pupunha, teve sorte por ter a equipe de voluntários da ADRA servindo na localidade durante a Semana Santa também. Com família criadora de gado de corte, o rapaz, ao guardar o rebanho, acidentalmente pisou em um pedaço de madeira causando um corte profundo no pé. Imediatamente ele foi colocado no barco e levado até onde a ADRA servia. Com médicos e enfermeiros cuidando o ferimento foi tratado sendo que, nesse último fim de semana, a enfermeira que cuidou dele anteriormente pôde visitá-lo em casa e constatar sua recuperação. [Equipe ASN – Jeane Barboza]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox